Brasil mantém otimismo para Copa do Mundo feminina

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 15 de maio de 2019 as 14:43, por: CdB

O Brasil está no Grupo C com Austrália, Itália e Jamaica, e tentará superar seu melhor resultado, uma derrota para a Alemanha na final de 2007.

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

Uma das nações mais tradicionais do futebol feminino, o Brasil segue para a Copa do Mundo de futebol feminino na França em seu pior momento.

– Precisamos estar unidas – disse a meio-campista Erika à Reuters depois do último jogo de aquecimento da seleção, uma derrota de 1 a 0 para a Escócia.

Érica e Marta comemoram gol da seleção brasileira de futebol feminino

– Nove derrotas seguidas para uma seleção brasileira que sempre quer vencer não é normal, mas estamos trabalhando duro e acho que quem for à Copa do Mundo chegará lá mais forte e com mais experiência, e tenho certeza de que iremos com uma nova mentalidade.

– Esta é a fase preparatória – acrescentou a meio-campista do Corinthians. “Quando chegarmos lá, será 0 a 0 para todo mundo”.

O Brasil está no Grupo C com Austrália, Itália e Jamaica, e tentará superar seu melhor resultado, uma derrota para a Alemanha na final de 2007.

Desde que bateram o Japão por 2 a 1 em julho, as brasileiras foram incapazes de vencer partidas em casa ou no exterior, o que inclui derrotas para os Estados Unidos, favoritos da Copa do Mundo, França, Japão e Inglaterra.

O time está em 10º no ranking mundial, seu pior lugar, e Erika admitiu que isso dará coragem às adversárias.

– Os outros times verão que estamos mais fracas psicologicamente, mais do que em campo, e não nos respeitarão tanto – opinou.

Parte do problema do Brasil é a instabilidade comum em todos os níveis do esporte na América do Sul. A seleção trocou de comando cinco vezes desde 2011, e a única técnica foi demitida de forma polêmica em 2017 depois de meros 10 meses no cargo.

EUA são favoritos

A seleção dos Estados Unidos pode ser a favorita para conquistar o título da Copa do Mundo de futebol feminino, mas graças ao desenvolvimento rápido do esporte em todo o mundo as norte-americanas enfrentarão concorrentes mais fortes do que nunca quando o torneio começar na França no dia 7 de junho.

Centenas de milhares de ingressos foram vendidos, e a Fifa está apostando que o futebol feminino dará um grande passo adiante capitalizando um torneio bem-sucedido.

A oitava edição da Copa do Mundo feminina será disputada por 24 times em nove cidades francesas, e as anfitriãs confrontarão a Coreia do Sul no jogo de abertura, no estádio Parc des Princes, em Paris.

As duas melhores seleções de cada um dos seis grupos avançarão para as oitavas de final, assim como os quatro melhores terceiros colocados.

As semifinais e a final acontecerão em Lyon, berço do poderoso Olympique de Lyon, historicamente o time mais exitoso do futebol feminino francês. A final será no dia 7 de julho.

Com uma torcida apaixonada ao seu lado e uma liga nacional forte, a França acredita na vitória, mas Inglaterra, Austrália, Alemanha e Japão também têm esperanças firmes de erguer o troféu.

Embora a França tenha rivais duras no Grupo A, no qual ainda enfrentará Noruega e Nigéria, buscará vitórias incontestáveis para ter a melhor chance de chegar com tranquilidade à segunda fase.

A ex-campeã Noruega não contará com Ada Hegerberg, vencedora da Bola de Ouro que pediu dispensa da seleção após o final da Euro 2017, citando desentendimentos sobre a maneira como o time é administrado.

A bicampeã Alemanha enfrentará China, Espanha e a estreante África do Sul no Grupo B, enquanto Austrália, Itália, Brasil e Jamaica se enfrentatão no Grupo C.

Apesar de sua tradição, o Brasil nunca venceu uma Copa do Mundo de futebol feminino ou uma medalha de ouro olímpica, e esta pode ser a última vez que terá a atacante Marta, que está com 33 anos, em um Mundial.

Não faltarão faíscas no Grupo D, onde uma seleção inglesa forte joga contra escocesas, argentinas e as japonesas campeãs de 2011, enquanto a campeã europeia Holanda encara Canadá, Camarões e Nova Zelândia no Grupo E.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *