Brasileiro vence GP da Espanha no campeonato mundial de motos elétricas

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Últimas Notícias
Publicado domingo, 19 de julho de 2020 as 14:14, por: CdB

Granado, piloto paulistano de 24 anos que largou na pole position, chegou a ser ultrapassado pelo alemão Lukas Tulovic, mas logo retomou a liderança e não a perdeu até finalizar os 26,5 quilômetros da corrida.

Por Redação, com agências internacionais – de Jerez de la Frontera, Espanha

A temporada 2020 da MotoE (campeonato de motos elétricas do Mundial de Motovelocidade) começou da mesma forma que a de 2019 terminou: com vitória de brasileiro. Ganhador das duas últimas etapas do ano passado, Eric Granado venceu o Grande Prêmio da Espanha, no circuito de Jerez de la Frontera, realizado neste domingo.pastedGraphic.png

Granado pilotou com maestria, ao longo de todo o percurso do circuito em Jerez de la Frontera
Granado pilotou com maestria, ao longo de todo o percurso do circuito em Jerez de la Frontera

O paulistano de 24 anos, que largou na pole position, chegou a ser ultrapassado pelo alemão Lukas Tulovic, mas logo retomou a liderança e não a perdeu até finalizar as seis voltas e os 26,5 quilômetros da corrida. Granado cruzou a linha de chegada três segundos à frente do italiano Matteo Ferrari, atual campeão. O suíço Dominique Aegerter completou o pódio, em terceiro.

Pandemia

É a terceira vitória consecutiva de Granado na MotoE. A primeira foi em novembro do ano passado, em Valencia, também na Espanha, dando fim a 14 anos sem triunfos brasileiros em um mundial de motos. Antes dele, o último piloto do país a vencer tinha sido Alexandre Barros em 2005, pela MotoGP, principal categoria da motovelocidade.

A temporada da MotoE segue em Jerez de la Frontera para o Grande Prêmio da Andaluzia, no próximo domingo (26). A edição 2020, que teve quatro etapas canceladas (uma na Holanda, uma na Áustria e duas na Espanha, ambas em Valencia) devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), terá outras cinco corridas até outubro: três em San Marino e duas na França.

— A roda dianteira levantou na arrancada e me fez perder um pouco de tempo até a moto se estabilizar no chão novamente. Acho que foi por causa do maior torque que temos nesta temporada, pois eu nunca tinha sentido isso. Eu o passei (Tulovic) já na reta oposta e então me concentrei em fazer o máximo. Depois disso eu pude controlar a distância — concluiu Granado.