Brexit: partido norte-irlandês diz que não irá apoiar acordo

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 17 de outubro de 2019 as 11:09, por: CdB

O Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte (DUP) disse nesta quinta-feira que não pode apoiar o acordo do Brexit.

Por Redação, com Reuters – de Londres

O Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte (DUP) disse nesta quinta-feira que não pode apoiar o acordo do Brexit fechado pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, com a União Europeia, porque o texto não é do interesse da província britânica.

Líder do DUP, Arlene Foster, em Londres
Líder do DUP, Arlene Foster, em Londres

“Essas propostas não são, em nossa opinião, benéficas para o bem-estar econômico da Irlanda do Norte e prejudicam a integridade da união”, afirmou o partido, alertando que a votação parlamentar prevista para sábado é apenas a primeira etapa da aprovação do acordo.

“A votação de sábado no Parlamento sobre as propostas será apenas o início de um longo processo para a aprovação de qualquer projeto de lei de retirada através da Câmara dos Comuns”, acrescentou.

Johnson agora precisa obter a aprovação do acordo em uma votação a ser realizada em uma sessão extraordinária do Parlamento britânico no sábado para abrir caminho para uma saída organizada em 31 de outubro.

Mas o partido norte-irlandês de que o premiê precisa para ajudar a aprovar qualquer pacto se recusou a apoiar a proposta, que foi decidida após semanas de negociações.

Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista, a principal sigla de oposição britânica, disse em Bruxelas que está “insatisfeito” com o acordo e que votará contra ele. Parlamentares de seu partido disseram que foram orientados a pedir um novo referendo no sábado.

Apesar de tudo, a libra esterlina subiu mais de um 1% e os preços das ações britânicas também avançaram após o anúncio de que se chegou a um entendimento.

Fronteira irlandesa

Os negociadores trabalharam freneticamente nesta semana para acertar o esboço de um meio-termo na questão da fronteira irlandesa, a parte mais difícil do Brexit, discutindo tudo — desde as verificações alfandegárias até o tema espinhoso do consentimento do governo da Irlanda do Norte.

A dificuldade é como evitar que a fronteira se torne uma porta dos fundos para o mercado comum da UE sem montar postos de verificação que poderiam minar o Acordo da Sexta-Feira Santa de 1998, que encerrou décadas de conflito na província.

O pacto manterá a Irlanda do Norte na zona alfandegária do bloco, mas as tarifas só serão aplicadas a bens que cruzarem do território continental do Reino Unido para a Irlanda do Norte se eles forem destinados à Irlanda e ao mercado comum da UE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *