Brigitte Bardot e sua editora denunciam ‘boicote’ contra seu livro

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 15 de maio de 2003 as 16:52, por: CdB

A ex-atriz francesa Brigitte Bardot e sua editora denunciaram nesta quinta-feira o apelo feito na França, segundo elas, “por certos apresentadores e jornalistas” para boicotar o livro de BB Um grito no silêncio.

“Brigitte Bardot e a editora Rocher estão particularmente chocadas” com o que está sendo feito em torno do livro Um grito no silêncio e de sua autora, “ao tentarem fazer crer que este livro contém propostas racistas e xenófobas, além do apelo feito por certos apresentadores e jornalistas para boicotar não somente o livro de Brigitte Bardot, mas também outros livros da editora”, assinalou um comunicado da Rocher.

Segundo a editora, a primeira tiragem do livro foi de 50.000 exemplares, mas depois de cinco dias atingiu 120.000 exemplares.

Efetivamente, BB, entre outras coisas, classificou em seu livro os homossexuais de “fenômenos de feira” e se pronunciou firmemente contra a islamização da França, desencadeando a cólera de várias associações.

Assim, a Liga dos direitos do Homem (LDH) e o Movimento contra o racismo e pela amizade entre os povos decidiram contestar na Justiça a ex-atriz, que foi símbolo sexual dos anos 60.