Bush consegue compromisso da China de mudança do câmbio

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado domingo, 21 de novembro de 2004 as 10:59, por: CdB

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse que apóia um “dólar forte”, ao mesmo tempo que ouviu do presidente da China, Hu Jintao, o compromisso de mudança do sistema cambial chinês durante reunião de cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico.

As declarações dos dois líderes, além do apoio do primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, ao dólar forte, foram apenas repetições das políticas anteriores mas estavam sendo esperadas com ansiedade pelo mercado de câmbio, que vê com nervosismo a queda do dólar.

As declarações foram dadas um dia após o presidente do Federal Reserve, Alan Greenspan, provocar mais uma queda do dólar ao dizer que inevitavelmente a demanda estrangeira por ativos em dólares irá cair, dado o grande déficit em conta corrente dos Estados Unidos.

No encontro com Koizumi, Bush repetiu que o mantra do “dólar forte”, que os operadores cada vez mais vêem como uma política de deixar o dólar sucumbir. Um dólar fraco aumenta a competitividade das exportações norte-americanas e eleva o preço das importações, auxiliando na redução do déficit comercial dos EUA.

– Eu também expliquei para ele (Koizumi) que o meu país está comprometido com um dólar forte e eu assegurei a ele que nos próximos contatos com o Congresso, iremos trabalhar para reduzir os déficits de curto e longo prazos – disse Bush.

As autoridades das principais nações do mundo se acusam mutualmente pela recente desvalorização do dólar, que perturba o mercado financeiro mundial.

Os Estados Unidos vêem a valorização da moeda chinesa, o iuan –atualmente atrelada ao dólar a cerca de 8,28 por dólar– como crucial para reduzir o crescente déficit comercial que, por sua vez, ajuda a minar o dólar.

Hu não deu detalhes de como e quanto a China deve liberalizar o iuan, disse uma fonte norte-americana.

– O presidente Hu em particular citou duas questões que ele irá se debruçar: o direito de propriedade intelectual e o câmbio. Ele reafirmou que a intenção da China de caminhar para um regime cambial mais flexível em resposta às demandas do mercado – disse a autoridade norte-americana.

Uma autoridade chinesa deu um tom mais cauteloso para as declarações.

– O presidente Hu reiterou o ponto de vista da China que vamos continuar avançando para a reforma do câmbio, enquanto mantemos a estabilidade econômica. O presidente Bush apreciou a posição – disse He Yafei, diretor-geral do departamento para a América do Norte do Ministério das Relações Exteriores da China.