Butantan culpa governo Bolsonaro por redução da previsão de insumos da China

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 6 de maio de 2021 as 12:12, por: CdB

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, declarou nesta quinta-feira que a redução da previsão de insumos chineses para produção de vacinas é consequência da “falta de alinhamento” do governo federal.

Por Redação, com Sputnik – de São Paulo

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, declarou nesta quinta-feira que a redução da previsão de insumos chineses para produção de vacinas é consequência da “falta de alinhamento” do governo federal.

O país asiático é responsável por fornecer insumos para a produção da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan, e da vacina Oxford/AstraZeneca, produzida pela Fiocruz

De acordo com Dimas, a previsão de receber 6 mil litros do insumo no dia 10 de maio diminuiu para 2 mil litros a serem entregues no dia 13. A declaração do diretor do Butantan foi durante a entrega de um milhão de doses da vacina CoronaVac na manhã desta quinta-feira.

– O insumo da principal vacina que vai no braço dos brasileiros vem da China – afirmou o diretor do Instituto Butantan ao lado do governador de São Paulo, João Doria.

Dimas Covas declarou que um dos motivos para o atraso a e diminuição do recebimento dos insumos foi o mal-estar causado “por sucessivas declarações desastrosas do ministro da Economia, Paulo Guedes, e agora do presidente da República, Jair Bolsonaro”.

Na quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o novo coronavírus poderia ter nascido “em laboratório”, insinuando uma referência à China.

– É um vírus novo, ninguém sabe se nasceu em laboratório ou nasceu por algum ser humano ingerir um animal inadequado. Mas está aí. Os militares sabem o que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que não estamos enfrentando uma nova guerra? Qual o país que mais cresceu o seu PIB? Não vou dizer para vocês – disse o presidente.

O país asiático é responsável por fornecer insumos para a produção da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan, e da vacina Oxford/AstraZeneca, produzida pela Fiocruz.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code