Butantan pede à Anvisa autorização para uso emergencial da CoronaVac

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, São Paulo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 7 de janeiro de 2021 as 13:13, por: CdB

O Instituto Butantan enviou nesta quinta-feira o pedido para uso emergencial da CoronaVac para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O imunizante contra a covid-19, produzido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Butantan, teve eficácia de 78% na terceira fase de testes no Brasil.

Por Redação, com Sputnik – de São Paulo

O Instituto Butantan enviou nesta quinta-feira o pedido para uso emergencial da CoronaVac para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Instituto Butantan pede à Anvisa autorização para uso emergencial da CoronaVac
Instituto Butantan pede à Anvisa autorização para uso emergencial da CoronaVac

O imunizante contra a covid-19, produzido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Butantan, teve eficácia de 78% na terceira fase de testes no Brasil.

Segundo a Anvisa, a análise do pedido de uso emergencial pode durar até dez dias. As informações foram publicadas pelo portal G1.

A autorização para uso emergencial seguida pela Anvisa só vale para o período de pandemia segue o modelo que está sendo utilizado em autorizações do tipo em outros países como o Reino Unido, Estados Unidos e Canadá.

Uso definitivo

Se houver interesse, pode-se pedir a autorização para uso definitivo, ou seja, para além do período da pandemia. O prazo para esse tipo de concessão, de acordo com a Anvisa, pode levar até 60 dias.

A eficácia atingida nos estudos da CoronaVac se aplica à prevenção de casos leves da doença. Casos moderados e mortes foram completamente evitados.

Para uma vacina ser aprovada pela Anvisa, ela precisa atingir ao menos 50% de cobertura.