Caças dos EUA teriam iludido mísseis russos na Síria

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 25 de maio de 2018 as 15:18, por: CdB

Mais cedo, Israel havia informado sobre o primeiro voo de combate dos caças F-35. Conforme as autoridades militares do país, os aviões foram usados em duas frentes, mas as operações concretas são mantidas em segredo

Por Redação, com Sputnik – de Washington/Moscou:

Os caças F-35I Adir israelenses de fabricação norte-americana conseguiram ficar invisíveis para os mísseis russos S-300 durante uma recente operação na Síria, escreve a revista Popular Mechanics.

Caças estadunidenses F-35 teriam iludido mísseis russos S-300 na Síria

Mais cedo, Israel havia informado sobre o primeiro voo de combate dos caças F-35. Conforme as autoridades militares do país; os aviões foram usados em duas frentes, mas as operações concretas são mantidas em segredo.

Se os sistemas antiaéreos russos tivessem conseguido detectar os caças; ressalta a edição, teriam transmitido esta informação à defesa antiaérea síria, o que impediria o cumprimento das missões de combate declaradas por Israel.

O artigo nota que uma situação análoga teria lugar se Israel tivesse usado os aviões no Irã, país que também possui mísseis S-300.

Avião

A revista ressalta que o elemento principal do sistema furtivo do avião é o radar de matriz ativa faseada; que não só permite mostrar o revelo e vigiar os alvos, mas também mascarar o avião; não permitindo aos sistemas radioeletrónicos inimigos detectá-lo.

Neste mês, além de Israel, a Turquia e o Japão anunciaram que irão comprar caças F-35 aos EUA. Ancara vai receber o primeiro avião de quinta geração em 21 de junho; e em Tóquio pretendem finalizar as compras até os finais de maio.

Caças russos

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou os norte-americanos das vantagens desse modelo em relação aos caças russos, segundo reporta um artigo da Military Watch.

– O céu do Iraque e principalmente da Síria virou um verdadeiro armazém de informações sobre como atuamos durante as operações. Nossos inimigos estão nos observando e estudando – disse Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA.

O artigo observa que os ataques com F-22 sobre um território que se encontra sob controle dos sistemas de rastreamento russos privaram o caça de 5ª geração de sua principal vantagem; sistema de proteção contra radares. Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade aos radares do F-22; além de coletar dados sobre o uso da aeronave e encontrar medidas para combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

Os radares

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia controlam totalmente o espaço aéreo de Israel, Líbano e Síria. Este é um dos principais motivos pelos quais Israel não poderá extrair o máximo de seus atuais caças norte-americanos F-35.

Desse modo, os caças precisam ter os sistemas de futilidade desconcertados; para evitar que as tropas russas se familiarizem com eles, o que tornará o caça muito mais vulnerável; ou deverão ser usados os F-15 mais antigos.

Nesta semana, o comandante da Força Aérea de Israel, Amikam Norkin, anunciou o primeiro uso de um caça F-35 de 5ª geração em combate. No total, Israel possui 50 aeronaves desse tipo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *