Câmara aprova projeto de regulamentação de aplicativos de transporte

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 1 de março de 2018 as 10:48, por: CdB

Os deputados mantiveram as emendas do Senado que retiraram do texto as exigências de placa vermelha e de motorista proprietário do veículo, duas das principais demandas dos aplicativos

Por Redação, com Reuters – de Brasília:

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de quarta-feira o projeto que regulamenta aplicativos de transporte de passageiros, e manteve duas das modificações promovidas pelo Senado para flexibilizar as regras de funcionamento, o que foi comemorado pelas empresas Uber e Cabify.

Câmara aprova projeto de regulamentação de aplicativos de transporte favorável a Uber e Cabify

Os deputados mantiveram as emendas do Senado que retiraram do texto as exigências de placa vermelha; e de motorista proprietário do veículo, duas das principais demandas dos aplicativos.

A única emenda rejeitada pelos deputados pretendia retirar dos municípios a atribuição de regulamentar a atividade; e também a exclusividade de fiscalização. Dessa forma, continua no texto a exclusividade dos municípios para regulamentar e fiscalizar o serviço, informou a Agência Câmara Notícia.

O texto aprovado, que segue agora para sanção presidencial; foi elogiado pelas empresas que operam o sistema de transporte por aplicativo.

Usuários

“O novo texto aprovado pela Câmara dos Deputados ouviu a voz dos 20 milhões de usuários e 500 mil motoristas parceiros; que encontraram na Uber novas formas de mobilidade e de geração de renda no Brasil. Em vez de proibir, o texto regulamenta a atividade dos motoristas parceiros e organiza critérios; para os aplicativos operarem” disse a Uber; em comunicado enviado por email.

Para a Cabify, as emendas aprovadas na Câmara e no Senado geraram um texto “equilibrado”. “A mobilidade urbana foi assegurada com a aprovação das emendas que retiraram diversas determinações que inviabilizavam o setor de mobilidade privada”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *