Campanha de vacinação contra a gripe começa no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 24 de abril de 2018 as 12:40, por: CdB

A campanha no Estado do Rio de Janeiro teve início nesta terça devido ao feriado estadual de São Jorge, comemorado na segunda-feira

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) iniciou nesta terça-feira, em todos os 92 municípios Fluminenses, a campanha nacional de vacinação contra a gripe (ou influenza). A meta de imunizar cerca de 4,5 milhões de pessoas. A vacina contém o imunizante contra o H3N2 e é destinada a gestantes, crianças com idades entre 6 meses e menores de 5 anos, pessoas com mais de 60 anos, mulheres que pariram há até 45 dias e pacientes crônicos, além de profissionais de saúde e indígenas. A mobilização acontecerá até 1° de junho nos postos de saúde municipais.

Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe vai até 1º de junho em todo país

A campanha no Estado do Rio de Janeiro teve início nesta terça-feira devido ao feriado estadual de São Jorge, comemorado na segunda-feira. No resto do país, a campanha começou na segunda.

De acordo com o secretário de Saúde, Sérgio Gama, “é importante que todo o público-alvo se vacine; mesmo os que já se vacinaram em outra ocasião, pois o imunizante usado sofre alterações em sua composição ao longo dos anos. Ele é feito conforme o cenário epidemiológico apresentado anualmente pelas regiões; e inclui o reforço necessário para a ocasião”.

A influenza é uma doença respiratória infecciosa que causar complicações e até a morte, principalmente para os grupos prioritários; que são de alto risco, e que ainda não estejam imunizados. Equipes de vigilância monitoram os casos de pacientes hospitalizados; e óbitos decorrentes da doença com o objetivo de identificar o comportamento do vírus.

Casos

Este ano, até 16 de abril, foram notificados 167 casos confirmados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG); em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva, sendo quatro deles causados pelo vírus H1N1 e 13 provocados pelo vírus H3N2; que são dois dos três subtipos do vírus que fazem parte da imunização. No mesmo período, foram notificados 18 óbitos no estado, sendo um por H3N2.

– O H3N2 não é um vírus novo e com base nessa circulação; a vacina disponibilizada pelo governo federal é a trivalente; que previne a contaminação pelos vírus A/H1N1, A/H3N2 e Influenza B.

Além da imunização, as pessoas precisam se precaver; adotando medidas preventivas como lavar as mãos com frequência; e não compartilhar objetos de uso pessoal; disse a subsecretária de Vigilância Epidemiológica em Saúde, Cláudia Mello.

Vacinação

Na capital do Estado, o município pretende vacinar 1,4 milhão de pessoas. As mais de 200 unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) farão a imunização de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas. Para as mulheres até 45 dias do parto, será solicitada comprovação da condição clínica.

Para pessoas que tenham apresentado febre recente; recomenda-se adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore. Portadores de doenças neurológicas e síndrome Guillain-Barré devem consultar um médico antes de tomar a vacina e seguir suas orientações. Já pessoas com história de alergia grave e prévia a ovo ou a algum outro componente da vacina não devem se vacinar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *