Camponesas acampadas em Brasília reivindicam acesso à terra e crédito

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sábado, 6 de março de 2004 as 14:20, por: CdB

Acampadas em Brasília desde ontem, cerca de 1.500 camponesas de todo o país reivindicam aposentadoria para as donas de casa, acesso à terra e linha de crédito especial para continuarem produzindo na terra. Elas permanecem na capital federal até a próxima segunda-feira, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher.

Para a coordenadora do Movimento das Mulheres Camponesas, Loiva Rubenich, há esperanças neste governo das mulheres conquistarem mais espaço. “Existe uma posição diferenciada entre homens e mulheres. A mulher ainda é vista como uma estranha, principalmente no mercado de trabalho. Precisamos mudar esta mentalidade”, defendeu. Ela reconhece no entanto que ao longo de 20 anos de luta, muitas vitórias já foram alcançadas. Algumas delas são o reconhecimento da profissão e o salário maternidade.

No que depender do ministro das Cidades, Olívio Dutra, as mulheres camponesas terão muitos de seus direitos conquistados neste governo. Ele garantiu que ações já estão sendo feitas neste sentido. “O esforço do governo visa garantir moradia, saúde, educação e a possibilidade delas serem empreendedoras. A mulher não pode ser discriminada”, disse.

A camponesa Hilga Almeida, do Rio Grande do Sul, acredita que cada vez mais as mulheres estão dispostas a lutar pelos seus direitos. “Nós nunca desanimamos. A nossa luta é constante. Ainda conquistaremos muitos espaços”, afirmou Hilga.

Na segunda-feira as camponesas têm audiências com os ministros da Previdência Social, Amir Lando, e da Saúde, Humberto Costa; e promovem um ato de solidariedade aos povos da Venezuela.