Candidata comunista propõe união das esquerdas no segundo turno

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado sábado, 24 de março de 2018 as 15:00, por: CdB

Manuela D’Ávila, pré-candidata comunista à Presidência da República; acredita em superação de obstáculos para a união das esquerdas, no segundo turno das eleições.

 

Por Redação, com ACS – de São Paulo

 

Pré-candidata do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) à Presidência da República, Manuela D’Ávila falou na abertura do seminário Desafios para a Retomada do Desenvolvimento Nacional. O encontro, realizado na noite desta sexta-feira, foi promovido pela Fundação Maurício Grabois para colher subsídios para o programa de governo.

Manuela D’Avila estrutura  pré-candidata do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), estrutura equipe de campanha e quer unir as esquerdas
Manuela D’Avila, pré-candidata do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), estrutura equipe de campanha e quer unir as esquerdas

O seminário discutiu os desafios para superação da crise econômica e retomada do crescimento do país; reindustrialização e remontagem do sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação; e ainda os desafios da infraestrutura, energia e cadeia de petróleo e gás; para recolocar o Brasil no rumo do desenvolvimento.

Soberania

A deputada gaúcha disse que o país está “numa encruzilhada”:

— Ou aprofunda o caminho de um projeto ultraliberal e antinacional ou retoma a rota de construção de um projeto nacional e de desenvolvimento.

Manuela acrescentou que “o Brasil possui todas as condições para responder às necessidades do nosso povo. Somos um país com enormes possibilidades, riquezas naturais; um povo inteligente, inovador e criativo”. Para ela, “não há caminho para superarmos as profundas desigualdades de nosso país sem a geração de riqueza, sem o fortalecimento da soberania e do Estado nacional”.

Projeto nacional

Ao citar, em seguida, a necessidade de união das forças progressistas, de esquerda e democráticas, D’Ávila afirmou que “essa unidade não se constrói em torno do abstrato”. E lembrou que as fundações partidárias do PCdoB, PT, PDT, PSB e PSol lançaram recentemente o manifesto: “Unidade para Reconstruir o Brasil”; um documento elaborado coletivamente. Nele, reúne-se um programa mínimo comum; para superação da crise político-econômica que assola o país.

Manuela acentuou, ainda, que a sua pré-candidatura busca contribuir para que as forças progressistas estejam no segundo turno da disputa eleitoral; “representadas por um programa avançado”. Uma diretiva materializada e orientada “para um novo projeto nacional de desenvolvimento”, acrescentou.

Entre os participantes do seminário, o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães; o ex-ministro da Ciência e Tecnologia Sergio Resende; a presidente da Associação Keynesiana Brasileira, Eliane Araújo; o presidente da Associação dos Funcionários do BNDES, Thiago Mitidieri; o presidente da Fundação Mauricio Grabois, Renato Rabelo; e o responsável pelo programa de Desenvolvimento Nacional na pré-campanha de Manuela D’Ávila, Luís Fernandes; entre outros nomes ligados à visão desenvolvimentista da economia; na perspectiva de o Estado ser o indutor do crescimento do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *