Candidatos democratas concentram ataques em Bernie Sanders

Arquivado em: América do Norte, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020 as 10:38, por: CdB

Senador que lidera primárias do partido vira alvo de colegas em debate na televisão. Ex-prefeito Bloomberg também enfrenta fogo cruzado, enquanto Warren e Biden tentam recuperar terreno na disputa pela indicação.

Por Redação, com DW – de Washington

No debate de terça-feira, marcado por altercações, extrapolações dos limites de tempo e várias interrupções entre os participantes, os pré-candidatos do Partido Democrata para concorrer à presidência dos Estados Unidos concentraram os ataques no senador Bernie Sanders, até o momento o favorito para a indicação do partido.

Pré-candidato democrata Bernie Sanders (c.) enfrenta ataques de seus adverários em debate
Pré-candidato democrata Bernie Sanders (c.) enfrenta ataques de seus adverários em debate

Os rivais do veterano senador tentaram apresentá-lo como um candidato polêmico e de ideias difíceis de serem implementadas. Eles afirmaram que Sanders seria uma escolha de risco para concorrer à Casa Branca contra o presidente Donald Trump. No debate realizado na Carolina do Sul, alguns dos pré-candidatos chegaram a afirmar que a indicação de Sanders seria “catastrófica” para o partido e custaria aos democratas a vaga na Casa Branca e o controle sobre o Congresso.

Sanders, que se apresenta como “socialista”, lidera a disputa pela indicação do partido após vencer com folga as primárias do partido no estado de Nevada. O debate desta terça-feira era visto como a última chance para seus rivais tentarem frear o bom momento do senador, antes das primárias na Carolina do Sul e da chamada “super-terça-feira”, na qual eleitores democratas em 14 estados escolherão seus favoritos para concorrer à Casa Branca.

Em meio aos ataques, Sanders não alterou em nada seu discurso nem tentou se aproximar dos eleitores democratas moderados. Ele defendeu sua proposta de que o acesso aos serviços de saúde é um direito de todos e reiterou que seu plano de substituir os seguros de saúde privados por um programa administrado pelo governo tem grande apoio da população.

– Se quisermos derrotar Trump, precisamos de um movimento de base sem precedentes, com negros, brancos e latinos, norte-americanos nativos e asiáticos, que estão se levantando e lutando por justiça. É isso o que é o nosso movimento – disse o senador de Vermont. Sanders também foi criticado por ter elogiado durante uma entrevista o sistema de saúde introduzido por Fidel Castro em Cuba.

A senadora Elizabeth Warren, uma das principais concorrentes de Sanders, também da ala mais à esquerda, não poupou ataques ao seu colega de partido, mas que compartilha de algumas de suas ideias. “Eu acho que eu serei uma presidente melhor do que Bernie. E o motivo disso é que avançar essa agenda progressista vai ser algo muito difícil”, afirmou. Warren tenta recuperar terreno após resultados frustrantes nas três primárias realizadas até agora.

– Bernie vai perder para Donald Trump – alertou o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, afirmando que, se o senador ganhar a indicação, o partido arrisca perder não apenas na Casa Branca, mas também na Câmara e no Senado. “Vladimir Putin acha que Donald Trump deve ser o presidente dos EUA. É por isso que a Rússia está lhe ajudando a se eleger, para que você perca para ele”, atacou o bilionário, dirigindo-se a Sanders.

Ele fez referência a matérias nos grandes jornais dos EUA sobre um suposto apoio de Moscou à candidatura de Sanders, o que também foi denunciado pelo próprio senador. Segundo as matérias, Sanders foi informado pelos serviços de informação norte-americanos a respeito de interferências no processo eleitoral a seu favor, mas com o objetivo real de promover a vitória de Trump.

– Alguém aqui consegue imaginar os democratas moderados trocando de lado e votando nele? – questionou o ex-prefeito de Nova York.

Bloomberg, por sua vez, também não foi poupado no debate. Warren renovou os ataques feitos por ela no debate anterior, acusando o ex-prefeito de ter um histórico de atitudes sexistas.

Campanha publicitária

O pré-candidato, que gasta somas milionárias numa campanha publicitária para promover seu nome, disse que investiu dinheiro de seu próprio bolso para apoiar candidaturas democratas nas últimas eleições para o Congresso e que ajudou a eleger a atual líder da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, para “controlar” Trump.

– Se vocês acham que os últimos quatro anos foram caóticos, divisivos, tóxicos, exaustivos, imaginem o que vai ser na maior parte de 2020 com Bernie Sanders contra Donald Trump – observou o moderado Pete Buttigieg, ex-prefeito de South Bend, no estado de Indiana. Ele acusou Sanders de modificar a estimativa de custos de alguns de seus programas governamentais, inclusive na área de saúde.

Um dos mais pressionados na corrida pela indicação do partido é o ex-vice-presidente Joe Biden, que no ano passado liderava as pesquisas de opinião como o favorito entre os democratas para concorrer à Casa Branca.

Biden espera contar com o apoio dos eleitores negros, que formam 60% da base democrata na Carolina do Sul, mas uma pesquisa recente revela que Sanders está à frente também nesse eleitorado. O resultado das primárias deste sábado poderá ser decisivo para as pretensões de Biden.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *