Candidatura de Freixo se consolida, mas PT quer ampliar alianças

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 20 de maio de 2022 as 16:36, por: CdB

O Grupo de Trabalho Eleitoral do PT se reuniu na terça-feira e, em nota, disse ter ratificado a aliança com o PSB e o apoio à candidatura de Freixo ao governo estadual; além do lançamento de André Ceciliano (PT) ao Senado. O PSB, no entanto, deseja lançar ao Senado o deputado Alessandro Molon, o que leva a direção petista a avaliar uma ampliação no arco de alianças.

Por Redação – do Rio de Janeiro

Secretário nacional de comunicação do PT, Jilmar Tatto não esconde a preocupação de que a candidatura de Marcelo Freixo (PSB) ao governo do Estado do Rio de Janeiro, embora consolidada na aliança com a legenda, “possa estreitar” o palanque do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Diante da dúvida, o PT encomendou um levantamento interno cujos resultados sairão na semana que vem e devem balizar a decisão da legenda, no Rio.

Ceciliano,Lula e Freixo
Com Ceciliano para o Senado e Freixo candidato ao Palácio Guanabara, Lula espera vencer também no Rio

— Antes de tomar qualquer decisão, resolvemos fazer essa pesquisa — disse Tatto à revista CartaCapital que circula nesta sexta-feira.

O Grupo de Trabalho Eleitoral do PT se reuniu na terça-feira e, em nota, disse ter ratificado a aliança com o PSB e o apoio à candidatura de Freixo ao governo estadual; além do lançamento de André Ceciliano (PT) ao Senado. O PSB, no entanto, deseja lançar ao Senado o deputado Alessandro Molon, o que leva a direção petista a avaliar uma ampliação no arco de alianças.

Palanque

— Eu participei da reunião do GTE. A nota é essa, só faltou o complemento de que decidimos fazer uma pesquisa. E estamos fazendo. Há uma preocupação do estreitamento de candidatura do Freixo. Se o PSB cumprir o acordo com o PT, nós vamos apoiar o Freixo e o Ceciliano vai para o Senado. (Mas) o fato é que o PSB lançou a candidatura do Molon para o Senado — acrescentou o coordenador.

Além das divergências sobre o candidato a uma cadeira no Senado, Tatto avalia que “se acendeu o sinal amarelo”.

— Está estreito, não é suficiente. A candidatura do Freixo é importante, mas é muito pouco para o Rio de Janeiro — concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code