Casa França-Brasil recebe uma ‘Torre de Babel’

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 10 de junho de 2019 as 14:13, por: CdB

A obra é uma grande torre piramidal, erguida no centro do salão da Casa França-Brasil, formada pela junção de várias colunas de metal.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Em sua quarta edição, o Festival de Esculturas do Rio leva para a Casa França-Brasil, vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa, uma grande instalação chamada “Torre de Babel”, que está aberta à visitação pública até a última semana de junho.

A obra é uma grande torre piramidal, erguida no centro do salão da Casa França-Brasil

Com curadoria e organização do produtor de artes visuais Paulo Branquinho, a “torre” foi montada em conjunto por três artistas plásticos: o paulista Ângelo Milani, conhecido por utilizar materiais reaproveitados em grandes monumentos; e os cariocas Paulo Jorge Gonçalves, que trabalha com esculturas aéreas trazendo o vigor das cores e interagem com a movimentação do ar, através da leveza dos tecidos utilizados em suas obras, e Otávio Avancini, que transforma árvores mortas em arte e foi carnavalesco da Escola de Samba Mirim Pimpolhos da Grande Rio.

A obra é uma grande torre piramidal, erguida no centro do salão da Casa França-Brasil, formada pela junção de várias colunas de metal, com vistas a criar para o visitante um labirinto de sensações visuais e táteis, até porque, no espaço, está exposta uma variada coleção de objetos, pinturas, pequenas esculturas, material decorativo de carnaval, além de uma seleção de poemas escritos à mão e emoldurados em grandes quadros.

Todos os produtos usados na instalação foram criados por artistas frequentadores do Instituto Municipal Nise da Silveira (com os projetos Espaço Travessia, Museu de Imagem do Inconsciente, Bloco Carnavalesco Loucura Suburbana, Espaço Aberto Ao Tempo/Severiano dos Santos, Centro de Convivência e Cultura Trilhos do Engenho, e o Grêmio Nise da Silveira), do Polo Experimental da Colônia Juliano da Moreira com o Ateliê Gaia e do Hospital Psiquiátrico de Jurujuba, em Niterói. A Escola de Samba Mirim Pimpolhos da Grande Rio também participa da instalação pela cessão de material decorativo de carnaval.

– Os visitantes não estarão indo em uma exposição de esculturas e, sim, entrando na própria escultura – disse Branquinho.

Festival de Esculturas

O Festival de Esculturas do Rio, em sua quarta edição, traz para o Rio de Janeiro exposições alternadas, com a inauguração do projeto na Casa França-Brasil, e logo em seguida, com as mostras no Museu Nacional de Belas Artes, Paço Imperial e Centro Cultural Correios.

Serviço:

A exposição recebe visitação pública, das 10h às 20h, de terça-feira a domingo, até o dia 27/6.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *