‘Caso Luis Suárez’ derruba reitora de universidade italiana

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 14 de dezembro de 2020 as 11:57, por: CdB

A reitora da Universidade para Estrangeiros de Perúgia, Giuliana Grego Bolli, renunciou ao cargo nesta segunda-feira, em meio à investigação que apura supostas fraudes em um exame de italiano feito pelo atacante uruguaio Luis Suárez, do Atlético de Madrid.

Por Redação, com ANSA – de Roma

A reitora da Universidade para Estrangeiros de Perúgia, Giuliana Grego Bolli, renunciou ao cargo nesta segunda-feira, em meio à investigação que apura supostas fraudes em um exame de italiano feito pelo atacante uruguaio Luis Suárez, do Atlético de Madrid.

Luis Suárez pouco antes de fazer prova de italiano em Perúgia, em 17 de setembro
Luis Suárez pouco antes de fazer prova de italiano em Perúgia, em 17 de setembro

No início de dezembro, Bolli já havia sido proibida preventivamente de exercer cargos públicos por oito meses, mas agora ela comunicou o ministro da Universidade, Gaetano Manfredi, sobre sua saída imediata e definitiva do cargo.

– É uma decisão que tomei há poucas horas, com profundo pesar e sofrimento pessoal, após dois anos de gestão desafiadora – escreveu a agora ex-reitora. Inicialmente, Bolli disse que renunciaria apenas se a Justiça rejeitasse um recurso contra sua suspensão, porém ela decidiu não esperar o julgamento.

– A razão da minha escolha antecipada de hoje é ditada pela constatação sobre a grave crise na qual a universidade precipitou nos últimos dias e a subsequente urgência por um remédio imediato – acrescentou.

O professor que aplicou a prova em Suárez, Lorenzo Rocca, também entregou seu cargo.

O caso

Suárez, 33 anos, fez o exame de italiano em 17 de setembro, na Universidade para Estrangeiros de Perúgia, um dos principais centros de ensino do idioma no país, quando tentava se transferir para a Juventus.

Na época, o MP e a Guarda de Finanças investigavam, desde fevereiro, supostas irregularidades nos processos de cidadania envolvendo a instituição e acabaram gravando conversas telefônicas que indicavam uma possível fraude no exame do atacante.

Segundo o Ministério Público, o conteúdo da prova foi “previamente comunicado” ao uruguaio pela universidade, que chegou a “pré-determinar o resultado e a pontuação do exame para corresponder aos pedidos que haviam sido feitos pela Juventus”.

Suárez, que é casado com uma cidadã italiana, poderia obter a nacionalidade caso comprovasse conhecimento ao menos intermediário (nível B1) do idioma. Essa etapa era crucial para garantir sua transferência para a Juve, que não pode mais contratar extracomunitários nesta temporada devido às chegadas do brasileiro Arthur e do americano McKennie.

Ainda de acordo com o MP de Perúgia, “a direção do clube de Turim se movimentou nos primeiros dias de setembro, inclusive nos máximos níveis institucionais, para acelerar o reconhecimento da cidadania italiana para Suárez”.

Juventus

O diretor esportivo da Juve, Fabio Paratici, é investigado por suspeita de falso testemunho no inquérito. Como não haveria tempo de concluir o processo de cidadania antes do fechamento da janela de transferências, o clube acabou desistindo de Suárez e acertou com o espanhol Álvaro Morata.

Já o uruguaio trocou o Barcelona pelo Atlético de Madrid.