A casta que sonega impostos no Brasil

Arquivado em: Opinião, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021 as 10:07, por: CdB

 

A Folha informa que a “operação realizada pela Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo encontrou mais de R$ 40 milhões em sonegação de impostos devidos em doações de cotas de empresas.

Por Altamiro Borges – de São Paulo

A Folha informa que a “operação realizada pela Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo encontrou mais de R$ 40 milhões em sonegação de impostos devidos em doações de cotas de empresas. Os casos se referem a 895 empresários, que beneficiaram cerca de 1,5 mil herdeiros (uma doação pode ter mais de um beneficiário)”.

Os casos se referem a 895 empresários, que beneficiaram cerca de 1,5 mil herdeiros

Segundo a investigação, a declaração do patrimônio foi feita com valores mais baixos que os reais para reduzir a cobrança do tributo e até obter isenção fiscal.

Foram analisadas doações extrajudiciais em que o doador está vivo e transfere cotas societárias da empresa para herdeiros. As declarações auditadas só trataram das transmissões de bens feitas no Brasil.

Nas próximas semanas, informa a Folha, “o Supremo Tribunal Federal (STF) retomará o julgamento sobre a cobrança do Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) em doações de bens localizados no exterior, que é alvo de controvérsia judicial e também pode render uma arrecadação significativa para São Paulo”.

A operação que investigou a mutreta, deflagrada em agosto passado, foi batizada de Vaisyas, “nome inspirado na casta indiana de comerciantes e de administradores de bens”, descreve a Folha. Uma parte da grana sonegada foi recuperada; outra está em negociação. A cloaca burguesa, que adora bravatear sobre corrupção, é realmente criminosa e cínica!

Os números da Operação Vaisyas

1,5 mil. Número aproximado dos herdeiros que caíram na malha.

895. Total de empresários que fizeram as doações auditada.

R$ 1 bilhão. Valor total das cotas de ações doadas nessas declarações.

R$ 19,8 milhões. Arrecadação após correção da declaração pelos contribuintes.

R$ 11,6 milhões. Valores que serão pagos por meio de parcelamento.

R$ 12,2 milhões. Valor lançado por meio de auto de infração

Fonte: Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo.

 

Altamiro Borges, é jornalista.

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Correio do Brasil