CBF e ‘Globo Esporte’ na mira do presidente do Flamengo

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 10 de dezembro de 2003 as 00:26, por: CdB

Pela quinta vez eleito presidente do Flamengo, o tabelião Márcio Braga, 67, comemorou na última terça-feira a vitória com a promessa de liderar um movimento para ‘reformular o futebol brasileiro’.

Menos de 20 horas depois de vencer a eleição, o ex-deputado federal decidiu entrar em confronto com duas das principais personalidades do futebol nacional: o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e o diretor da ‘Globo Esporte’, Marcelo Campos Pinto. O Globo Esporte é o braço esportivo da emissora, que detém os direitos de transmissão dos principais torneios do país.

Além de criticar os dois dirigentes, Braga anunciou que pretende criar uma liga nacional independente da CBF já em 2004.

– Não vamos conseguir pagar a conta [do Flamengo] na conversa. Para reformar o futebol brasileiro, vamos para a briga – disse.

– No caso da CBF, não haverá mais aquela relação promíscua. Nossa relação com essa gente será altaneira – disse o dirigente.
 
– Além disso, não temo retaliações. Em 92, briguei com a Fifa e com a Federação do Rio e ganhei o Brasileiro – acrescentou.

Depois de atacar Teixeira, Braga partiu para hostilizar o diretor do Globo Esporte. Ele disse que ficou indisposto com as declarações de Campos Pinto em seminário promovido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

No encontro, o diretor da Globo disse que era favorável à elitização do futebol, com ingressos cobrados a preço de teatro. Ele também afirmou que a torcida do Corinthians superaria a do Flamengo em oito anos.

– As declarações dele foram desastrosas, absolutamente absurdas – disse Braga.

– Depois do que li, ele não tem condições intelectuais de estar num seminário promovido pela FGV. Aqui essas idéias não passarão. Ele que vá cantar em outro lugar – disse o dirigente.

Para viabilizar a formação de uma liga independente da CBF, Braga, um dos fundadores do Clube dos 13, disse que vai começar nesta semana as articulações. Até a próxima sexta-feira, ele vai se encontrar com o presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa, outro desafeto da CBF, para falar sobre o assunto.

A reportagem entrou em contato com as assessorias da CBF e da Globo Esporte, mas as 19h30 elas não haviam comentado as declarações de Márcio Braga.