Cedae inicia tratamento de água com carvão ativado

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 23 de janeiro de 2020 as 12:02, por: CdB

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) iniciou nesta quinta-feira o tratamento da água na estação do Rio Guandu (ETA Guandu, no Grande Rio) com carvão ativado.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) iniciou nesta quinta-feira o tratamento da água na estação do Rio Guandu (ETA Guandu, no Grande Rio) com carvão ativado. A informação foi divulgada pela Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio (Agenersa).

A Cedae encaminhou à Agenersa os resultados das análises da qualidade da água tratada pela ETA Guandu
A Cedae encaminhou à Agenersa os resultados das análises da qualidade da água tratada pela ETA Guandu

O carvão ativado será usado para tentar reduzir o odor e gosto de terra provocados pela substância orgânica geosmina e que vêm sendo percebidos na água fornecida pela Cedae, há cerca de três semanas, na região metropolitana da capital.

Multa

A Cedae encaminhou na quarta-feira à Agenersa os resultados das análises da qualidade da água tratada pela ETA Guandu. As análises foram feitas entre os dias 9 e 18 deste mês. Segundo a Agenersa, não foram encaminhados os resultados dos testes feitos nos dias 19 e 20, porque a Cedae explicou que eles ainda estão em fase de análise.

A agência informou que os dados da Cedae serão comparados com os resultados das análises realizadas pela Vigilância Sanitária Municipal.

Caso sejam comprovadas falhas nos procedimentos da Cedae, que comprometam a qualidade da água e coloquem em risco a saúde dos usuários, a concessionária pode ser multada em até R$ 5 milhões.

Degustador de água

A Agenersa também determinou que, a partir de agora, a Cedae passe a comunicar imediatamente à população qualquer alteração na turbidez, cor, odor e gosto da água.

A Cedae também será obrigada a ter, em seus quadros profissionais, um degustador de água, para avaliar a qualidade da água de suas estações. Caso a empresa ainda não tenha esse tipo de funcionário, deverá apresentar, no prazo de cinco dias, as medidas que serão tomadas para implementar o serviço.

A Agenersa também pediu que a Polícia Civil remeta, à agência, o inquérito que investiga a alteração da qualidade da água assim que for concluído.

A Cedae informou que arcará com todos os custos do tratamento com cartão ativado. Na terça-feira, o presidente da empresa, Hélio Cabral, foi ouvido pela Polícia Civil, no inquérito que investiga a situação do abastecimento de água. “A Cedae é a maior interessada na apuração dos fatos que ocorreram no início deste ano. E é tão interessada que a empresa pediu à Polícia Civil que averiguasse esse fato para que seja esclarecido à população. Porque eu, como cidadão, estou tão interessado na melhoria da água quanto vocês, porque também bebo, tomo banho, escovo dente de manhã com água da Cedae”, disse o executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *