CEF impõe uso de programa para informações sobre benefícios

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 4 de novembro de 2004 as 11:35, por: CdB

A Caixa Econômica informou, nesta quinta-feira, que as 2 milhões 972 mil 981 pessoas jurídicas do país (empresas, associações, condomínios e outros) são obrigadas, a partir deste mês, a utilizar o programa de Conectividade Social para transmissão dos arquivos gerados pelo Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Sefip). Por isso, o recolhimento mensal do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) tem que ser feito com o “lacre de conectividade”, pela internet.

Segundo a CEF, apesar da intensa divulgação da nova legislação, desde junho último, avisando da obrigatoriedade do cadastramento, mais de um milhão de empresas continuam em desacordo com as determinações legais. Essas empresas deverão procurar, com urgência, uma agência da Caixa para regularizar sua situação, para reduzir tempo e custo no cumprimento de suas obrigações com o FGTS e com o INSS.

A certificação do Conectividade Social é gratuita, em qualquer agência da CEF, e facilita à empresa o recolhimento do FGTS e o fornecimento de informações à Previdência Social, com redução de custos operacionais, pois possibilita conexão direta para o envio eletrônico das informações necessárias. Também facilita para o trabalhador demitido, uma vez que o aviso de demissão e a confirmação de sua homologação serão passados pela internet. O trabalhador só precisará ir à agência bancária para receber o saldo do FGTS, sem necessidade de dar entrada na solicitação do pagamento.