‘Centrão’, que agora busca o Itamaraty, tem no PSDB seu principal adversário

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de fevereiro de 2021 as 16:31, por: CdB

Um dos principais argumentos de políticos do grupo parlamentar, ouvidos pela mídia conservadora, é que Tereza Cristina à frente da Agricultura demonstrou bom trânsito em diversas agendas internacionais.

Por Redação – de Brasília e São Paulo

O grupo conhecido como ‘Centrão’, após o domínio da Câmara e do Senado, busca agora a coordenação da política externa do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) ao articular, abertamente, a demissão do atual chanceler, Ernesto Araújo, para colocar a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, em seu lugar. Bolsonaro, sempre que pode, nega a locação de cargos na Esplanada dos Ministérios, mas o ‘Centrão’ não esconde suas intenções.

Anúncio foi feito pelo governador João Doria em sua conta no Twitter
O governador João Doria assume a oposição direta ao presidente Jair Bolsonaro e ao ‘Centrão’, no Congresso

Um dos principais argumentos de políticos do grupo parlamentar, ouvidos pela mídia conservadora, é que Tereza Cristina à frente da Agricultura demonstrou bom trânsito em diversas agendas internacionais. Recentemente, a ministra foi convocada a ajudar na interlocução com a China para a liberação de insumos destinados à fabricação de vacina contra a covid-19.

Se nada de braçada no laguinho do Palácio do Planalto, no entanto, o ‘Centrão’ encontrou no PSDB a sua nêmesis. Os tucanos decidiram, na noite passada, abrir oposição declarada ao governo. Quem discordar deste posicionamento deve deixar o partido, disse nesta terça-feira o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que também defendeu o afastamento do deputado Aécio Neves (MG) da legenda.

Vassalagem

Em entrevista coletiva na capital paulista, onde assinou autorização para uma obra da estação de metrô da Vila Prudente, Doria também repetiu que espera que o PSDB esteja junto com o DEM na eleição de 2022, apesar do momento turbulento vivido pela legenda, com a provável saída do ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ).

— A posição do PSDB é a posição de oposição ao governo Jair Bolsonaro. Os que não quiserem fazer oposição ao governo Jair Bolsonaro, ao governo negacionista de Jair Bolsonaro, peçam para sair do PSDB, porque esta é a posição do PSDB. Isso nós extraímos de uma reunião ontem à noite com várias lideranças do PSDB e com a anuência do presidente de honra do PSDB, Fernando Henrique Cardoso… Os que quiserem fazer vassalagem a Bolsonaro, tenham coragem e dignidade de pedir para sair do PSDB e sigam seu caminho onde desejarem — resumiu o governador, apontado como provável adversário de Bolsonaro na próxima eleição presidencial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code