Centro Gamaleya pode ajudar outros fabricantes com tecnologia que minimiza risco das vacinas

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 14 de abril de 2021 as 13:14, por: CdB

O Centro Gamaleya está pronto para partilhar sua tecnologia de purificação da vacina com outros fabricantes de vacinas contra o coronavírus, a fim de minimizar os riscos de efeitos colaterais.

Por Redação, com Sputnik – de Moscou

O Centro Gamaleya está pronto para partilhar sua tecnologia de purificação da vacina com outros fabricantes de vacinas contra o coronavírus, a fim de minimizar os riscos de efeitos colaterais.

Centro Gamaleya russo pode ajudar outros fabricantes com tecnologia que minimiza risco das vacinas

Isto foi dito através de um comunicado emitido pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya no site oficial da vacina Sputnik V.

“O Centro Gamaleya está pronto para partilhar sua tecnologia de purificação (de vacinas) com outros fabricantes de imunizantes, a fim de lhes ajudar a minimizar os efeitos colaterais durante vacinação”, diz o comunicado.

A qualidade e a segurança da vacina russa Sputnik V são asseguradas inclusive por, durante sua fabricação, ao contrário de outras vacinas é utilizada a tecnologia de purificação em quatro estágios, que inclui duas etapas de purificação cromatográfica e duas de filtração tangencial, detalha o comunicado.

Plataforma de vetores

O centro também detalhou que qualquer vacina baseada na plataforma de vetores de adenovírus tem suas especificidades individuais e uma comparação direta ente elas é incorreta.

“Devido a isso, não há nenhuma base para extrapolar os dados de segurança que foram obtidos durante a vacinação com um imunizante aos dados de segurança das restantes vacinas”, acentuou o centro.

O Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya desenvolveu a vacina Sputnik V contra a covid-19, com o apoio do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo), que foi registrada em 11 de agosto de 2020 e se tornou a primeira no mundo a sê-lo.