Cessar-fogo temporário dos talebãs entra em vigor no Afeganistão

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 15 de junho de 2018 as 14:26, por: CdB

O Afeganistão vive um dos períodos mais violentos de sua história após o término da missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte

Por Redação, com EFE – de Cabul:

O cessar-fogo parcial de três dias anunciado pelos talebãs do Afeganistão, o primeiro em 17 anos de conflito, entrou em vigor nesta sexta-feira, coincidindo com a trégua unilateral sem precedentes do governo por causa do fim do mês sagrado muçulmano do Ramadã.

O cessar-fogo parcial de três dias anunciado pelos talebãs do Afeganistão, o primeiro em 17 anos de conflito, entrou em vigor nesta sexta-feira

– Desde a meia-noite (de quinta-feira no horário local, 16h30 em Brasília) até agora, ambas as partes honraram o cessar-fogo em todo o país – anunciou o presidente afegão, Ashraf Gani, em mensagem à nação por causa do Eid al Fitr, a festividade que marca o fim do Ramadã.

Na semana passada, o grupo insurgente anunciou um cessar-fogo de 72 horas que começaria no primeiro dia do Eid al Fitr, uma trégua que não afeta suas operações contra as tropas internacionais e que chegou dois dias depois que Cabul anunciou uma medida similar.

– Todos os anos, durante os dias do Eid, convidamos os grupos armados à paz e ao cessar-fogo. Este ano, os talebãs armados aceitaram o convite do governo e anunciaram um cessar-fogo durante os dias de Eid – explicou Gani, ao expressar seu desejo de que a trégua “continue”.

O presidente afegão parabenizou a população pelo primeiro cessar-fogo na “história atual” do país e mostrou seu apoio a qualquer medida que evite o “derramamento de sangue”.

Negociações de paz

Além disso, o líder afegão aproveitou para renovar seu pedido para iniciar negociações de paz com os insurgentes e assinalou que o Executivo está disposto a aceitar a oferta de mediação feita há dez dias por uma congregação de 2 mil líderes religiosos em Cabul.

– Para uma paz interna afegã, estamos prontos para aceitar a sugestão do ulemá de mediação entre o governo e os talebãs – concluiu Gani.

O Afeganistão vive um dos períodos mais violentos de sua história após o término da missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em 2015, que só continua no país realizando trabalhos de treinamento e capacitação das forças afegãs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *