Chacina deixa mortos e feridos em São Paulo

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Polícia, São Paulo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 8 de janeiro de 2018 as 14:02, por: CdB

As informações foram confirmadas pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), que não forneceu informações sobre como o crime ocorreu ou se há suspeitos

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

Quatro pessoas morreram em Pirituba, na Zona Norte de São Paulo, em três ataques ocorridos por volta das 3h30 da madrugada de domingo. Além dos mortos, duas pessoas ficaram feridas.

Quatro pessoas morreram em Pirituba, na Zona Norte de São Paulo

As informações foram confirmadas pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), que não forneceu informações sobre como o crime ocorreu ou se há suspeitos. O caso está sendo investigado pela 3ª Delegacia de Homicídios Múltiplos.

Segundo a secretaria, três pessoas foram baleadas no ataque ocorrido na rua Duarte Moreira. Duas delas eram jovens e foram encontradas por policiais já sem vida no local do crime: Mateus da Silva Rocha, 18 anos, e Bryan Dantas de Carvalho, 16. Já Luis Vágner Gonçalves de Oliveira, 18 anos, chegou a ser levado ao Hospital da Vila Penteado, mas não resistiu.

Um quarto homem, ainda não identificado, foi baleado na rua Brasilina Vieira Simões. Ele foi socorrido, mas morreu.

Os dois feridos, de 46 e 48 anos de idade e de identidades não reveladas; foram baleados na rua Santo Antonio dos Coqueiros. Eles estão no Pronto Socorro de Pirituba e na Santa Casa de Misericórdia. O Estado de saúde não foi informado. Os locais dos crimes foram periciados e exames necroscópicos foram solicitados; informou a secretaria.

RN decreta estado de calamidade

O governo do Rio Grande do Norte decretou estado de calamidade no sistema de segurança pública. De acordo com o decreto, publicado no sábado no Diário Oficial do Estado, o motivo é a paralisação dos policiais civis e militares, além do aumento dos índices de violência.

O decreto tem vigência de 180 dias e, com o estado de calamidade, o governo pode adotar medidas emergenciais para superar a crise no Estado.

Segundo a publicação, enquanto perdurar a situação, ficam disponíveis para atendimento aos serviços necessários do sistema de segurança pública todos os bens, serviços e servidores da Administração Pública Direta ou Indireta.

As autoridades administrativas poderão requisitar ou contratar “quaisquer serviços e bens disponíveis, públicos ou privados, com vistas ao reestabelecimento da normalidade no atendimento aos serviços de segurança pública”.

As mobilizações dos agentes da segurança pública começaram no dia 20 de dezembro; por causa do atraso no pagamento dos salários de dezembro e 13º salário. Além disso, eles reivindicam melhores condições de trabalho; como equipamentos adequados e manutenção de viaturas, consideradas sem condições para rondas.

Policiais civis

Policiais civis paralisaram parte dos serviços e passaram a trabalhar em escala de plantão. Policiais e bombeiros militares realizam operações-padrão; como patrulhamento apenas em veículos em condições adequadas. A redução da atividade policial motivou o envio de tropas do Exército e da Força Nacional ao Estado.

Na última sexta-feira, policiais e bombeiros militares e policiais civis decidiram manter a paralisação. Uma nova reunião com a Secretaria de Segurança Pública do Estado ficou prometida para o dia 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *