Chefe de polícia renuncia após morte de Daniel Prude

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 9 de setembro de 2020 as 15:21, por: CdB

O chefe de polícia de Rochester, cidade do Estado norte-americano de Nova York, renunciou subitamente na terça-feira, juntamente com sua equipe de comando, dizendo que houve uma “descaracterização e politização” de suas ações após a morte de Daniel Prude sob custódia da polícia.

Por Redação, com Reuters – de Nova York

O chefe de polícia de Rochester, cidade do Estado norte-americano de Nova York, renunciou subitamente na terça-feira, juntamente com sua equipe de comando, dizendo que houve uma “descaracterização e politização” de suas ações após a morte de Daniel Prude sob custódia da polícia.

Chefe da polícia de Rochester, La'Ron Singletary
Chefe da polícia de Rochester, La’Ron Singletary

Lovely Warren, prefeita de Rochester, disse em uma reunião do Conselho Municipal que não pediu ao chefe La’Ron Singletary para renunciar, mas que existem “informações que vieram à tona hoje que eu não havia visto antes”, sem dar detalhes.

Rochester, cidade de 200 mil habitantes às margens do Lago Ontário, irrompeu em protestos na semana passada depois que a família Prude divulgou imagens de câmeras que mostram que policiais usaram um capuz trançado e prensaram Prude, um homem negro de 41 anos, no asfalto durante a prisão realizada em março.

A divulgação das imagens cinco meses após a morte de Prude despertou a suspeita de um possível acobertamento e transformou Rochester no foco mais recente de um período de protestos contra a injustiça racial, desencadeado pela morte do também negro George Floyd no dia 25 de maio.

Sete policiais envolvidos na prisão foram suspensos na semana passada. O legista determinou que a morte de Prude foi um homicídio por asfixia e que a droga PCP foi um fator adicional,  ele estava tendo um surto psicótico quando foi preso.

Ativistas

Ativistas do movimento Black Lives Matter haviam pedido a renúncia de Singletary, mas até domingo, em meio a um final de semana de manifestações, ele dizia que pretendia permanecer, e Warren o apoiou. Tanto ele quanto a prefeita são negros.

– Sendo um homem íntegro, não assistirei passivamente entidades externas tentarem destruir meu caráter – disse Singletary em um comunicado, observando seus 20 anos na corporação.

– A descaracterização e a politização das ações que tomei depois de ser informado da morte do senhor Prude não se baseiam em fatos, e não são o que defendo.

Warren, que também vem sendo pressionada pela maneira como lidou com a prisão e a morte de Prude, disse que o vice de Singletary, Joseph Morabito, também renunciou e que “pode haver vários outros que também decidirão sair”.

O Free the People ROC, filial local do Black Lives Matter, saudou as renúncias em uma postagem no Facebook, mas exigiu que “todos os responsáveis pelo assassinato e acobertamento de Daniel Prude, incluindo a prefeita Lovely Warren, renunciem, assumam a responsabilidade e doem suas pensões às famílias que permitiram que fosse prejudicadas”.