Chefes de inspeção da ONU se mostram esperançosos

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado domingo, 9 de fevereiro de 2003 as 12:37, por: CdB

Os dois chefes das inspeções da ONU indicaram esperança na noite do último sábado depois de se encontrarem com oficiais iraquianos sobre as expectativas de que o Iraque deve produzir provas de que não possui armas de destruição em massa.

A visita veio dois dias depois do presidente Bush declarar “O jogo acabou”, sugerindo que o Iraque pode fazer pouco, neste momento, para deter um ataque americano.

Mesmo assim, os inspetores, Hans Blix e Mohamed ElBaradei, que defendem uma missão mais longa como alternativa para a guerra, parecem ter visto esperança, mas apenas se o Iraque tomar uma séria ação para cumprir as resoluções da ONU nas negociações deste final de semana – oferecendo novas evidências, por exemplo, para sustentar suas alegações de que não possui mais antraz ou o agente nervoso VX.

Depois de um longo encontro com o general Amir al-Saadi, o assessor de ciência de Saddam Hussein, Blix declarou aos repórteres: “Estamos tendo discussões úteis. Foi uma discussão muito substancial”. ElBaradei disse que os iraquianos estão “fornecendo explicações sobre algumas questões”.

Um oficial sênior da ONU disse aos repórteres que os iraquianos entregaram alguns documentos, mas eles ainda precisam ser analisados para confirmar sua possível importância.

Não ficou claro se Blix e ElBaradei irão conversar com Saddam, uma ação que ElBaradei sugeriu como um forte sinal da seriedade iraquiana em cooperar com os inspetores.

Saddam, que comanda o Iraque desde 1979, nunca se encontrou com inspetores, nem na primeira missão da ONU entre 1991 e 1998 ou na atual rodada, que começou em novembro.

Os iraquianos estão mostrando sinais de que estão sentindo a enorme pressão exercida pelo relatório negativo de Blix a ONU, depois dessa visita, e a apresentação do secretário de Estado Colin L. Powell na semana passada, que ofereceu evidências de que o Iraque é uma ameaça imediata à segurança mundial.

Na última quinta-feira, o Iraque ofereceu uma entrevista aos inspetores com um cientista. Na sexta-feira, três cientistas foram entrevistados em particular – dois sobre armas químicas e biológicas e o outro envolvido no programa nuclear iraquiano.

Este final de semana, dizem oficiais da ONU, eles esperam que o Iraque concorde com a realização de vôos de vigilância e aprove uma lei proibindo armas de destruição em massa no país. Mas os oficiais disseram que isso não será suficiente a esta altura. O Iraque, dizem, precisa fornecer provas concretas neste final de semana de que destruiu suas armas e agentes químicos e biológicos.