China e EUA estão em uma ‘nova encruzilhada’, afirma alto diplomata

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado sábado, 2 de janeiro de 2021 as 16:27, por: CdB

A eleição de Joe Biden como presidente dos EUA tem sido amplamente esperada para melhorar as relações entre Washington e Pequim, após quatro anos de tensões crescentes sob a administração de Donald Trump.

Por Redação, com Reuters – de Xangai, China

O relacionamento da China com os Estados Unidos atingiu uma “nova encruzilhada” e pode voltar ao caminho certo após um período de “dificuldade sem precedentes”, disse o diplomata Wang Yi em comentários oficiais publicados neste sábado.

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, e o diplomata Wang Yi, em recente encontro bilateral
O secretario de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e o diplomata Wang Yi, em recente encontro bilateral

As relações entre as duas maiores economias do mundo estão cada vez mais tensas em meio a uma série de disputas sobre comércio, direitos humanos e as origens da Covid-19. Em sua última ação, os Estados Unidos colocaram na lista negra dezenas de empresas chinesas que afirmam ter ligações com os militares.

Wang disse em uma entrevista conjunta com a agência chinesa de notícias Xinhua e outros meios de comunicação do país que as recentes políticas dos EUA em relação à China prejudicaram os interesses de ambos os países e trouxeram enormes perigos para o mundo. Mas agora havia uma oportunidade para os dois lados “abrirem uma nova janela de esperança” e iniciar uma nova rodada de diálogo, disse.

Racionalidade

A eleição de Joe Biden como presidente dos EUA tem sido amplamente esperada para melhorar as relações entre Washington e Pequim, após quatro anos de tensões crescentes sob a administração de Donald Trump. No mês passado, Wang disse esperar que a eleição de Biden permitiria que a política da China nos EUA “retornasse à objetividade e à racionalidade”.

No entanto, o presidente eleito Biden, que assumirá o cargo em 20 de janeiro, continuou a criticar a China por seus “abusos” no comércio e em outras questões. Wang não mencionou Trump ou Biden pelo nome, mas pediu aos Estados Unidos que “respeitem o sistema social e o caminho de desenvolvimento” escolhido pela China, acrescentando que se Washington “aprender lições”, os conflitos entre os dois lados poderão ser resolvidos.

— Sabemos que algumas pessoas nos Estados Unidos estão apreensivas com o rápido desenvolvimento da China, mas a liderança mais sustentável é avançar constantemente, em vez de bloquear o desenvolvimento de outros países — disse ele.

Pandemia

Políticos nos Estados Unidos acusaram a China de encobrir o surto da covid-19 durante seus estágios iniciais, atrasando sua resposta e permitindo que a doença se espalhe muito mais e mais rapidamente.

Mas Wang disse que a China fez o possível para combater a disseminação do vírus, “dando o alarme” para o resto do mundo.

— Corremos contra o tempo e fomos os primeiros a relatar a epidemia ao mundo. Mais e mais estudos mostram que a epidemia muito provavelmente surgiu em muitos lugares do mundo — resumiu.