China protesta contra saída dos Estados Unidos da OMS

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Europa, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 8 de julho de 2020 as 10:31, por: CdB

A China criticou a planejada saída dos Estados Unidos da Organização Mundial da Saúde (OMS), afirmando nesta quarta-feira que a medida terá implicações graves para países em desenvolvimento.

Por Redação, com Reuters – de Pequim/Londres

A China criticou a planejada saída dos Estados Unidos da Organização Mundial da Saúde (OMS), afirmando nesta quarta-feira que a medida terá implicações graves para países em desenvolvimento.

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, durante entrevista coletiva em Pequim
Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, durante entrevista coletiva em Pequim

Pequim está fazendo um apelo à comunidade internacional para ampliar o apoio à OMS, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, a jornalistas em um briefing diário.

A Organização das Nações Unidas (ONU) disse na terça-feira que os EUA deixarão a OMS em 6 de julho de 2021, depois de receber uma notificação da decisão do presidente norte-americano, Donald Trump, que acusa a agência de ser uma marionete da China durante a pandemia de coronavírus.

Evento britânico

O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, se retirou de última hora de um evento em Londres nesta quarta-feira, sob a justificativa de participaria de reuniões relacionadas à notificação dos Estados Unidos sobre a retirada da entidade.

O evento no centro de estudos de Chatham House, em Londres, teria a participação de Tedros em um seminário online ao vivo sobre a pandemia de covid-19, liderado por David Heymann, ex-funcionário da OMS e professor de saúde global.

Heymann disse durante o evento online: “Eu entrei em contato com o escritório dele (Tedros) por outra questão (nesta quarta-feira de manhã), e me disseram que ele tem uma série de reuniões diplomáticas hoje, resultado da retirada dos EUA”.

O gabinete de Tedros não respondeu imediatamente aos pedidos por comentários.

O presidente Donald Trump acusou a agência de se tornar um fantoche para a China durante a pandemia de covid-19. A OMS nega.