China quer assento para países em desenvolvimento na ONU

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 22 de março de 2005 as 09:42, por: CdB

A China propôs nesta terça-feira que um número não especificado de assentos permanentes para países em desenvolvimento seja acrescentado ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). O país, no entanto, não falou se o Japão deveria se tornar membro.
O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, pareceu apoiar o Japão nesta segunda-feira, quando apresentou um plano de reformas para a entidade.

– Acho que as reformas do Conselho de Segurança deveriam se voltar a aumentar a eficiência do trabalho…e, ao mesmo tempo, aumentar a representação dos países em desenvolvimento – afirmou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Liu Jianchao, durante uma entrevista coletiva em que foi questionado para comentar o apoio de Annan ao Japão.

Liu não mencionou o Japão e não disse quantos países em desenvolvimento deveriam se juntar aos EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia e China como membros permanentes do conselho. No ano passado, Brasil, Alemanha, Japão e Índia formaram um grupo de lobby para pleitear assentos permanentes no conselho, prometendo apoiar as candidaturas uns dos outros.

Mas as Coréias do Sul e do Norte têm dúvidas sobre o Japão, a Itália se opõe à Alemanha, o Paquistão não quer a Índia e o México e a Argentina não vêem a candidatura brasileira com bons olhos.