China tenta deter Sars combatendo hábito de cuspir nas ruas

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado domingo, 11 de maio de 2003 as 15:28, por: CdB

O primeiro-ministro da China prometeu que o país usará todos os recursos para deter a disseminação da síndrome respiratória aguda grave (Sars, na sigla em inglês). Funcionários do governo foram às ruas do sul da China para evitar o hábito de cuspir, comum no país e que pode espalhar o vírus da doença.

Mais de 1.000 funcionários do setor sanitário estão patrulhando as ruas de Guangzhou para impor a lei contra o cuspe e evitar que as pessoas joguem bitucas de cigarro no chão. O objetivo é evitar que a Sars se espalhe, disse a agência oficial de notícias Xinhua. A Sars, que contaminou quase 5.000 pessoas no país, surgiu no sul da China no ano passado e espalhou-se pelo interior e pelo mundo.

Médicos dizem que cuspir, ato muitas vezes chamado de passatempo nacional da China, pode espalhar a Sars.

O primeiro-ministro chinês, Wen Jinbao, também afirmou que as autoridades serão responsabilizadas por atos de negligência em relação à Sars.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse no último sábado (10) que ainda não recebeu dados suficientes sobre a epidemia de Sars na China.

– Não temos informação detalhada da China sobre cerca da metade dos casos, o que nos permitira seguir a Sars de maneira efetiva -, disse Maria Cheng, porta-voz da OMS.

– Todos os pacientes devem ser tratados, todas as fontes de contágio devem ser segregadas e todos os riscos potenciais devem ser erradicados. Nenhuma formalidade ou desculpa será permitida -, disse Wen neste domingo.

RISCO DE DISSEMINAÇÃO

– Lutar contra a Sars é um duro teste para as autoridades, que devem assumir responsabilidade total para garantir a saúde e a segurança do povo. Nenhuma negligência ou desculpa é permitida -, disse Wen, segundo o site da agência Xinhua.

Pelo menos 240 pessoas morreram de Sars na China e mais de 4.900 foram contaminadas, a maior parte do total registrado no mundo, de 7.000 casos.

– Ainda há risco de mais expansão. Nas áreas rurais há canais e risco potencial de disseminação -, disse o premiê.

Em Taiwan foram registrados mais 12 casos de Sars, elevando o total para 184, com 18 mortes. O governo disse neste domingo que os moradores de um condomínio estão violando as ordens de quarentena e que poderão ser multados.

Não existe um tratamento padrão para Sars e entre 6 e 10 por cento dos pacientes morrem. O vírus é transmitido através de fluidos corporais. Ao Canadá, único lugar fora da Ásia com registro de mortes por Sars, a doença chegou por meio de viajantes e matou 23 pessoas na maior cidade do país, Toronto.

Especialistas do mundo inteiro estão tentando encontrar um tratamento, mas há pouca esperança de uma descoberta em curto prazo.

– Testamos inibidores (de peptídeos antivirais) em culturas de tecidos para ver se podiam bloquear o vírus -, disse David Ho, do centro Aaron Diamond de pesquisa de Aids, na Universidade Rockefeller, Nova York.

Ele afirmou que o inibidor evitou a entrada do vírus da Sars em células, mas que ainda será preciso muito trabalho até que se descubra uma droga comercial.