China terá reformas para reduzir taxa de juros real

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 16 de agosto de 2019 as 13:30, por: CdB

O centro nacional de financiamento interbancário irá calcular e publicar uma taxa de referência para os bancos, disse o gabinete.

Por Redação, com Reuters – de Pequim

A China contará com medidas de reforma baseadas no mercado para ajudar a reduzir a taxa de juros real para as empresas, apresentando alguns planos para ajudar bancos a melhorarem o preço do empréstimo, afirmou o gabinete segundo a televisão estatal nesta sexta-feira.

A China vai reformar e melhorar o regime da taxa referencial de empréstimo (LPR) para ajudar os bancos a precificar seus empréstimos
A China vai reformar e melhorar o regime da taxa referencial de empréstimo (LPR) para ajudar os bancos a precificar seus empréstimos

A China vai reformar e melhorar o regime da taxa referencial de empréstimo (LPR) para ajudar os bancos a precificar seus empréstimos, adicionando prazos de cinco anos ou mais ao prazo atual de um ano, informou o gabinete.

Essa medida permitirá que os bancos determinem os juros sobre os empréstimos com base nas taxas das operações de mercado aberto do banco central, disse o Conselho de Estado depois de uma reunião.

O centro nacional de financiamento interbancário irá calcular e publicar uma taxa de referência para os bancos, disse o gabinete.

As reformas ajudarão a “reduzir significativamente as taxas de juros reais e resolver dificuldades em custos de financiamentos”, acrescentou.

Isso vai garantir que os custos médios de financiamento para as pequenas empresas caiam 1 ponto percentual neste ano, acrescentou.

O banco central prometeu unificar gradualmente duas “faixas” de taxa de juros – suas taxa baseada no mercado desenvolvida nos últimos anos e sua taxa de empréstimo e depósito bancários de referência.

Em julho, o presidente do banco central chinês, Yi Gang, disse que a China vai manter sua taxa básica de juros por um período relativamente longo, mas a eliminaria gradualmente na busca por unificar a taxa básica de empréstimo referencial e as taxas baseadas no mercado.

Medidas para aumentar renda

A agência de planejamento estatal da China afirmou nesta sexta-feira que adotará um plano para aumentar a renda disponível neste ano e em 2020, buscando alimentar o consumo no momento em que a economia desacelera.

O plano incluirá reforma do sistema Hukou —um programa de registro familiar que serve como passaporte doméstico e regula a imigração rural para as cidades—, entre outras medidas, disse a porta-voz da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, Meng Wei. Ela não deu detalhes.

Dados nesta semana mostraram que a economia da China perdeu mais força do que o esperado em julho, com as vendas no varejo indicando cautela do consumo conforme a intensificação da guerra comercial travada com os Estados Unidos pesa sobre as empresas e os consumidores. No segundo trimestre, o crescimento chinês desacelerou para perto da mínima de 30 anos.

Na quinta-feira, a China infomrou que precisa adotar as contramedidas necessárias em relação às últimas tarifas dos Estados Unidos sobre US$ 300 bilhões em produtos chineses, disse nesta quinta-feira o Ministério das Finanças.

O ministério também afirmou que as tarifas dos EUA violam o consenso alcançado pelos líderes dos dois países e se desviam do caminho de negociação para resolver as disputas. A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, disse: “Esperamos que os EUA e a China encontrem um meio-termo e implementem o consenso dos líderes dos dois países alcançado em Osaka”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *