Chissano repudia utilização de armas de destruição em massa

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 10 de abril de 2003 as 15:57, por: CdB

O presidente de Moçambique, Joaquim Chissano, repudiou nesta quinta-feira, em Maputo, a fabricação e utilização de armas de destruição em massa, alertando para o perigo que representam para o Mundo e para a Humanidade.

“A produção de armas atômicas, nucleares, químicas e biológicas constitui uma ameaça a toda a Humanidade. A sua existência estimula a corrida aos armamentos e a guerras entre Estados”, afirmou o presidente de Moçambique.

Joaquim Chissano discursava na cerimônia de entrega ao parlamento moçambicano da “Pedra da Paz de Hiroshima”, que recebeu do governo do Japão.

Chissano, que foi o 91º chefe de Estado a receber aquela distinção, afirmou que os efeitos nefastos das bombas atômicas lançadas durante a 2ª Guerra Mundial sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Negasaki mobilizaram a consciência dos moçambicanos no sentido de condenar, nos fóruns internacionais, a produção, armazenamento e uso de armas atômicas, nucleares e outras de destruição em massa.

Como prova do repúdio relativamente a este tipo de armas e do empenho na luta pelo desarmamento nuclear, Joaquim Chissano recordou que Moçambique é um dos países subscritores do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares no Oceano Índico, bem como de um outro idêntico, lavrado sob a égide das Nações Unidas.

Joaquim Chissano afirmou ainda que a atribuição daquela distinção a Moçambique constituiu um “prêmio” pela cultura de paz e pelo posicionamento do país na abordagem de assuntos internacionais relativos à paz, segurança, desarmamento e desenvolvimento.

A escolha do parlamento para depositar a “Pedra da Paz” foi fundamentada por Joaquim Chissano pelo reconhecimento de que se trata do local apropriado para a sua exposição, já que é naquela instituição que se promove a democracia, o desenvolvimento e a paz.

“O parlamento é a nossa escola, onde aprendemos a viver pacificamente no meio da diversidade e onde buscamos a inspiração para a promoção da paz”, acrescentou.

Participaram na cerimônia membros do governo, deputados, representantes dos diferentes órgãos do Estado e membros do Corpo Diplomático.