Chomsky: uma mídia como a brasileira seria fechada nos EUA

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 21 de setembro de 2018 as 15:28, por: CdB

Para dar concretude à opinião, Chomsky citou alguns exemplos. Um ocorreu em 2013: o instituto Gallup, o maior do mundo no setor de pesquisas de opinião, perguntou ao público estadunidense qual país representava a maior ameaça à paz mundial. A resposta majoritária foi: Estados Unidos.

 

Por Redação, com ACS – de São Paulo

 

Nos EUA e Inglaterra, canais de TV ou jornais seriam fechados e os donos, mortos, se fizessem contra os governos o que fazem no Brasil e na América Latina, em geral.

— Seriam colocados diante de um pelotão de fuzilamento em praça pública”, disse o pensador estadunidense Noam Chomsky.

Chomsky é um dos intelectuais mais respeitados do mundo
Chomsky é um dos intelectuais mais respeitados do mundo

O professor falou durante encontro com jornalistas realizado no Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé, na noite da última segunda-feira.

— Esse comportamento seria inaceitável nesses países — acrescentou Chomsky, professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, referindo-se especificamente ao padrão de tratamento adotado contra os governos de esquerda.

Orwell

Para dar concretude à opinião, Chomsky citou alguns exemplos. Um ocorreu em 2013: o instituto Gallup, o maior do mundo no setor de pesquisas de opinião, perguntou ao público estadunidense qual país representava a maior ameaça à paz mundial. A resposta majoritária foi: Estados Unidos.

— Coreia do Norte e Irã, por exemplo, nem passaram perto — comentou o professor. A pesquisa jamais foi publicada e o Gallup nunca repetiu a pergunta em pesquisas posteriores.

Outro exemplo, mais antigo, é igualmente significativo sobre os mecanismos de censura e transmissão de pensamento nos países ditos “livres”, notadamente EUA e Inglaterra, citados diversas vezes pelo intelectual. Quando George Orwell escreveu A Revolução dos Bichos, conta Chomsky, fez uma introdução que foi banida da primeira edição.

— O livro é uma sátira ao mundo totalitário, mas Orwell escreveu que a Inglaterra não deveria se enaltecer, porque lá ideias podem ser suprimidas sem o uso da força. Orwell aponta duas formas como isso acontece: os meios de comunicação são de propriedade de homens ricos e quem teve uma educação privilegiada em Oxford e Cambridge sabe que certas coisas não devem ser ditas. Isso estava no livro dele, mas foi suprimido da edição, restou apenas nas anotações dele e só apareceram 30 anos depois da publicação — lembrou.

Conflito

— Se a gente olhar para a mídia do mundo ocidental verá que essas considerações de Orwell são muito apropriadas. E que a chamada boa educação doutrina a discernir o que não deve ser dito e há coisas que nem devem passar pela cabeça. Isso era o que Gramsci chamava de senso comum hegemônico internalizado — emendou.

O linguista, que completa 90 anos em dezembro, toma dois exemplos que viveu para destacar que a mídia aplaca a diversidade de pensamento. Nos anos 1970, quando a opinião pública dos Estados Unidos já percebia que a guerra contra o Vietnã não poderia ser vencida.

Pesquisas de opinião, com perguntas fechadas, indicaram que a maioria da população não considerava o conflito errado e sim, no máximo, “moralmente equivocado” por, segundo Chomsky, considerar que o custo material e de vidas americanas era alto demais.

Chávez

Ou seja, porque os EUA iriam perder a guerra.

— Só quem estava muito fora da curva de influência da imprensa tradicional respondeu que a guerra era errada. Entre estes, estava eu — relata.

Mais recentemente, durante viagem de trabalho ao Chile, o pensador diz ter ficado chocado com a opinião dominante entre os chilenos de que Hugo Chávez era “um assassino”, entre outras duras críticas. A perplexidade passou quando ele foi ler os jornais.

— Eram só críticas duras á Venezuela, só mostravam coisas negativas — disse.

Eleição

Chomsky afirmou não concordar com o que Chávez fez em relação ao canal RCTV – a concessão não foi renovada. Porém, frisou, aquele canal teria recebido tratamento ainda mais rigoroso nos EUA e Inglaterra. Na opinião dele, os governos de esquerda da América Latina foram muito compreensivos em relação à mídia.

Chomsky voltou a elogiar Lula e seus dois governos, como já havia feito na sexta-feira anterior, quando participou do seminário Internacional “Ameaças à Democracia e a Ordem Multipolar”, organizado pela Fundação Perseu Abramo.

Afirmou, por último, que o Brasil havia atingido a melhor perspectiva de futuro entre todos os países do mundo. E vaticinou que o PT pode novamente ganhar a eleição presidencial deste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *