Colômbia detém militar venezuelano ativo por suspeita de espionagem

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 11 de junho de 2020 as 10:32, por: CdB

Militares da contrainteligência do Exército colombiano prenderam um sargento das Forças Armadas da Venezuela, que entrou na Colômbia como refugiado, após atividades suspeitas no país.

Por Redação, com Sputnik – de Bogotá

Militares da contrainteligência do Exército colombiano prenderam um sargento das Forças Armadas da Venezuela, que entrou na Colômbia como refugiado, após atividades suspeitas no país.

Exército da Colômbia detém militar venezuelano ativo por suspeita de espionagem
Exército da Colômbia detém militar venezuelano ativo por suspeita de espionagem

A detenção do militar se deu em uma estrada em Valledupar, cidade do nordeste da Colômbia.

O homem foi identificado como Gerardo José Rojas Castillo, que havia chegado à Colômbia ainda em 2019, reportou o portal El Tiempo citando o Exército colombiano.

De acordo com a contrainteligência colombiana Gerardo Rojas é sargento das Forças Armadas da Venezuela e transitava com frequência próximo de bases militares colombianas.

O militar também abriu um ponto de venda de sucos em frente à instalação militar Quartel Norte de Valledupar. Logo em seguida, Gerardo Rojas se empregou em uma empresa de transporte de Valledupar na qualidade de vigilante de uma obra muito próxima de outra base militar.

Investigação

Segundo a mídia, o militar disse ter rompido com o governo do presidente Nicolás Maduro ao entrar na Colômbia na qualidade de refugiado.

Contudo, ele voltou ao seu país e continuou ativo no Exército venezuelano.

Ao voltar para a Colômbia, o militar passou a ter seus movimentos vigiados pela inteligência colombiana.

Ainda de acordo com as investigações, Gerardo Rojas passou por cursos de contrainteligência na Venezuela, dentre outras especialidades.

Atualmente, a Migração da Colômbia está revisando o status do venezuelano para a tomada de futuras ações a seu respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *