Comitê dos EUA recomenda vacina da Pfizer-Biontech

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 11 de dezembro de 2020 as 10:35, por: CdB

Recomendação de painel convocado pela FDA não é vinculativa, mas autorização formal é esperada dentro de alguns dias. País vem registrando números recordes de mortes e internações por covid-19.

Por Redação, com DW – de Washington

Um comitê de especialistas independentes convocado pela autoridade sanitária dos EUA, a Food and Drug Administration (FDA), endossou na quinta-feira, o uso emergencial da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer em parceria com a empresa alemã de biotecnologia Biontech.

Imunizante da Pfizer e Biontech já foi aprovado no Canadá e no Reino Unido
Imunizante da Pfizer e Biontech já foi aprovado no Canadá e no Reino Unido

Com 17 votos a favor, quatro contra e uma abstenção, o comitê ouvido pela FDA se mostrou favorável à administração da vacina em todas as pessoas acima de 16 anos, idade considerada pela farmacêutica Pfizer como segura para receber o imunizante.

A aprovação de uso emergencial é o primeiro passo em direção em direção a uma campanha de vacinação em massa nos EUA. O voto do painel de especialistas não é vinculativo, mas uma recomendação. A FDA costuma seguir as recomendações de comitês de assessoramento do tipo.

Se a vacina for aprovada pela FDA, a aplicação do imunizante poderia começar já na próxima semana, segundo o secretário da Saúde dos EUA, Alex Azar. As primeiras doses devem ser ministradas em profissionais da saúde e residentes de asilos, as diretrizes oficiais ainda não foram divulgadas pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do país.

– Esta é uma luz no final do longo túnel desta pandemia – disse Sally Goza, presidente da Academia Americana de Pediatria.

Em julho, os EUA acertaram a compra de 100 milhões de doses da vacina da Pfizer. Por se tratar de um imunizante que necessita a aplicação de duas doses, a quantidade adquirida cobre inicialmente a imunização de 50 milhões de pessoas. “Teremos 20 milhões de pessoas vacinadas até o final deste mês”, garantiu Azar em entrevista à emissora estatal norte-americana PBS.

Além disso, no dia 17 de dezembro, o painel de especialistas da FDA volta a se reunir para avaliar o uso emergencial da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica Moderna.

Recorde de mortes

O anúncio do comitê de especialistas da Pizer ocorreu após, na quarta-feira, os Estados Unidos registrarem um número recorde de mortes diárias relacionadas à covid-19. Foram 3.124 óbitos, segundo levantamento da universidade norte-americana Johns Hopkins. O número de mortos superou as cifras de mortes norte-americanas no chamado “Dia D”, a invasão da Normandia durante a Segunda Guerra, e superou também o número de vítimas no ataque terrorista de 11 de Setembro.

Nas últimas 48 horas, os EUA registraram quase 6 mil mortes.Desde o início da pandemia, o país contabilizou quase 300 mil mortes relacionadas à doença.

Novos casos de infecção também estão em alta nos Estados Unidos: a média dos últimos sete dias está em 209 mil contágios diários. E o número de pessoas em hospitais com covid-19 bate recordes quase todos os dias. Os EUA superou a marca de 15,6 milhões de infecções.

Dúvidas e aprovação em outros países

O endosso dos especialistas ouvidos pela FDA foi dado num momento em que são levantadas questões sobre a segurança da vacina da Pfizer, após reações alérgicas em duas pessoas que receberam o imunizante no início desta semana no Reino Unido, que foi o primeiro país a aprovar e iniciar a administração do imunizante da Pfizer e Biontech.

A vacina foi aprovada também em outros três países: Arábia Saudita, Bahrein e Canadá. O governo canadenses divulgou que a vacinação será iniciada na próxima semana. Profissionais da saúde que atuam em asilos em Ottawa e Toronto serão os primeiros a receber o imunizante. A província de Ontario, a maior e mais populosa do país, iniciará a vacinação em asilos no dia seguinte.

As autoridades sanitárias canadenses autorizaram o uso da vacina da Pfizer na quarta. Um primeiro lote de 30 mil doses deixou a Bélgica, onde são produzidas, nesta sexta-feira. O governo canadenses espera receber 249 mil doses até o fim do ano, além e 6 milhões de doses adicionais ao longo do primeiro trimestre de 2021.

O Canadá também firmou acordos com outros cinco laboratórios, AstraZeneca, Sanofi e GSK, Johnson & Johnson, Novavax e Moderna, para a aquisição de um total de 358 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus.