Compositor e escritor, Aldir Blanc morre aos 73 anos, de coronavírus

Arquivado em: Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 4 de maio de 2020 as 11:26, por: CdB

Depois de ficar mais de duas semanas na UTI do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), a morte foi confirmada pela assessoria de Blanc. O compositor havia sido hospitalizado no dia 10 de abril, com um quadro de pneumonia.

Por Redação, com Sputnik – do Rio de Janeiro

Morreu nesta segunda-feira, aos 73 anos, o compositor e escritor brasileiro Aldir Blanc, por complicações causadas pela covid-19.

Compositor e escritor Aldir Blanc morre aos 73 anos
Compositor e escritor Aldir Blanc morre aos 73 anos

Depois de ficar mais de duas semanas na UTI do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), a morte foi confirmada pela assessoria de Blanc. O compositor havia sido hospitalizado no dia 10 de abril, com um quadro de pneumonia, pressão alta e infecção urinária. Uma semana depois, foi confirmada a infecção pelo novo coronavírus.

Música e medicina

Nos anos 1960, Aldir dividia seu tempo entre a música e a medicina, curso em que se formaria com especialidade em psiquiatria. Na época ele participou de diversos festivais e compôs músicas interpretadas por Clara Nunes, Taiguara e Maria Creuza.

No início dos anos 1970 se dedicou exclusivamente à música e emplacou grandes sucessos, com a parceria de João Bosco e na voz de Elis Regina. Entre os mais conhecidos estão: O Bêbado e a Equilibrista, De frente pro crime, Galos de briga.

Um reconhecido letrista, durante décadas Blanc colaborou com músicos como Paulinho da Viola, Moacir Luz, Guinga, Leila Pinheiro, Maurício Tapajós, Edu Lobo entre outros. Faleceu um dos grandes cronistas do Rio de Janeiro.