Compositor Ennio Morricone morre aos 91 anos  

Arquivado em: Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 6 de julho de 2020 as 11:21, por: CdB

Ennio Morricone, um dos mais conhecidos compositores de trilhas sonoras de todo o mundo, morreu em Roma aos 91 anos. Um comunicado divulgado nesta segunda-feira pelo advogado e amigo Giorgio Assuma informou que o maestro italiano morreu “nas primeiras horas desta segunda no conforto de sua família”.

Por Redação, com DW – de Roma

Ennio Morricone, um dos mais conhecidos compositores de trilhas sonoras de todo o mundo, morreu em Roma aos 91 anos. Um comunicado divulgado nesta segunda-feira pelo advogado e amigo Giorgio Assuma informou que o maestro italiano morreu “nas primeiras horas de 6 de julho no conforto de sua família”. Segundo a nota, ele “permaneceu lúcido e com grande dignidade até o fim” e “se despediu de sua amada esposa Maria”.

Compositor italiano Ennio Morricone morre aos 91 anos
Compositor italiano Ennio Morricone morre aos 91 anos

Morricone compôs trilhas sonoras para quase 500 filmes, incluindo vários do gênero western, como o clássico Três homens em conflito (1966), de seu amigo Sergio Leone, e Os oito odiados (2016), de Quentin Tarantino, pelo qual ganhou o Oscar. Ele já havia sido indicado nessa categoria outras cinco vezes.

Em 2007, ele recebeu da Academia de Artes e Ciências de Hollywood um Oscar pelo conjunto da obra, que dedicou à esposa Maria Travia, com quem era casado desde 1956 e considerava sua melhor crítica. “Ela não tem treinamento formal em música, mas julga meu trabalho como o público o faria. Ela é muito rígida”, disse certa vez sobre sua companheira.

Morricone nasceu em Roma no dia 10 de novembro de 1928, filho de uma família musical. Seu pai era trompetista, e ele seguiu seus passos, se tornando diplomado em trompete em 1946 e se graduando como maestro oito anos mais tarde.

Ela ganhou fama com as trilhas para os filmes de “spaghetti western”, como são conhecidas as obra de Leone, como Um punhado de dólares (1964), Por uns dólares a mais (1965) e Era uma vez no oeste (1968).

Apesar de ser bastante reconhecido por sua associação com os filmes de Leone estrelados por Clint Eastwood, muitos críticos consideram como seu melhor trabalho a trilha composta para o filme A missão, indicado para o Oscar de melhor trilha sonora, que consiste em uma reflexão sobre os vários gêneros musicais da América do Sul.

Obras de Morricone

As outras obras de Morricone que receberam indicações ao Oscar foram as trilhas sonoras dos filmes Cinzas no paraíso (1978), Os intocáveis (1987), Bugsy (1991) e Malena (2000). Além de Leone e Tarantino, ele também trabalhou com nomes como Roman Polanski, Terrence Malick e os italianos Giuseppe Tornatore e Bernardo Bertolucci.

Ele era admirado por uma ampla variedade de artistas, desde o tenor clássico Andrea Bocelli até a banda de heavy metal Metallica, que participaram de um álbum em sua homenagem chamado We All Love Ennio Morriconne de 2007, juntamente com Bruce Springsteen, Roger Waters, Celine Dion, Herbie Hancock, e o violoncelista Yo-Yo Ma.

Em 2016, ao receber em nome de Morricone o Globo de Ouro pela trilha sonora de Os oito odiados, Tarantino homenageou o italiano, dizendo ser seu compositor favorito ao lado de Mozart, Beethoven e Schubert.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *