Confronto entre apoiadores de Evo Morales e oposição eclode na Bolívia

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 6 de novembro de 2019 as 12:45, por: CdB

O governo denunciou que a oposição tenta desestabilizar o país e mobilizou as suas bases, que saíram às ruas para defender os resultados eleitorais.

Por Redação, com Sputnik – de La Paz

Protestos da oposição boliviana, liderada pelo político Carlos Mesa, tiveram início após as eleições presidenciais de 20 de outubro. O Supremo Tribunal Eleitoral anunciou a vitória de Evo Morales, mas oposição acusa o governo de fraude eleitoral.

Manifestantes gesticulam durante protestos entre apoiadores do processo eleitoral e oposição, na cidade de La Paz
Manifestantes gesticulam durante protestos entre apoiadores do processo eleitoral e oposição, na cidade de La Paz

O partido do atual presidente, Movimento ao Socialismo (MAS), alcançou 2.889.074 votos, equivalente a 47,07%. O principal partido de oposição, a Comunidade Cidadã (CC), obteve 2.240.894 votos, ou 36,51%. A vantagem, de pelo menos 10,55% dos votos, daria a vitória a Evo Morales, sem a necessidade de enfrentar Carlos Mesa em um segundo turno.

Eleições

Protestos contra os resultados das eleições iniciaram antes mesmo da conclusão da apuração dos votos. O líder de oposição Carlos Mesa denunciou os resultados como fraudulentos. Na semana das eleições, manifestantes atearam fogo a colégios eleitorais em diversas cidades do país.

O governo denunciou que a oposição tenta desestabilizar o país e mobilizou as suas bases, que saíram às ruas para defender os resultados eleitorais. Em 31 de outubro, protestos na província de Santa Cruz se tornaram violentos.

Nesta quinta-feira, o governo boliviano e a Organização dos Estados Americanos (OEA) iniciarão auditoria no processo eleitoral, para investigar as denúncias de fraudes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *