Confrontos internos entre militantes se agravam na Síria

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 4 de janeiro de 2019 as 12:09, por: CdB

O objetivo dos militantes islâmicos é criar uma extensão de território contígua de áreas que controlam ao norte de Idlib, perto da divisa turca, a bastiões no interior de Aleppo.

Por Redação, com Reuters – de Amã

Confrontos entre facções rebeldes rivais da Síria se disseminaram pelo noroeste do país, relataram rebeldes e moradores, nos exemplos mais recentes de represália entre oponentes do governo do presidente sírio, Bashar al Assad.

Rebeldes sírios apoiados pela Turquia na cidade de Tadef, em Aleppo

Os conflitos internos vêm abalando a oposição armada síria desde que a rebelião contra Assad teve início em 2011. Disputas territoriais vêm ajudando o presidente, juntamente com seus aliados iranianos e russos, a recuperar grande parte dos territórios antes nas mãos dos insurgentes.

Na terça-feira o Tahrir al Sham, antes filiado à Al Qaeda, lançou um ataque a cidades nos arredores do oeste de Aleppo controladas pelo Nour al Din Zinki, um membro da Frente de Libertação Nacional (NLF), disseram rebeldes e moradores à Reuters por telefone.

O grupo islâmico, que na quarta-feira tomou a cidade de Darat Izza, disse estar retaliando uma emboscada desta semana que matou cinco de seus combatentes e que atribuiu ao Nour al Din Zinki.Diferenças ideológicas dividem militantes islâmicos radicais de grupos nacionalistas do Exército Livre da Síria que somaram forças na NLF, que tem o apoio da vizinha Turquia.

Uma fonte rebelde disse que capturar Darat Izza fortaleceria o grupo islâmico envolvido em conversas secretas com Ancara, que tem militares na região norte e quer reforçar seu controle na área para proteger sua fronteira.

O objetivo dos militantes islâmicos é criar uma extensão de território contígua de áreas que controlam ao norte de Idlib, perto da divisa turca, a bastiões no interior de Aleppo, disse um diplomata ocidental graduado que acompanha a situação na Síria atentamente e pediu anonimato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *