Conversas com Irã sobre programa nuclear serão retomadas, diz UE

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 30 de setembro de 2021 as 13:32, por: CdB

Desde que o ex-presidente norte-americano Donald Trump descartou o pacto três anos atrás e reativou sanções contra o Irã, Teerã reabastece seu estoque de urânio enriquecido, enriquece-o em altos níveis de pureza físsil e instala centrífugas avançadas para acelerar a produção.

Por Redação, com Reuters – de Bruxelas

As conversas entre o Irã e potências mundiais para reativar um acordo nuclear de 2015 serão retomadas “em breve”, disse o chefe de política externa da União Europeia, Josep Borrell, nesta quinta-feira, enquanto Teerã disse estar avaliando as rodadas de negociações anteriores.

Reunião entre representantes da UE e do Irã em Viena

Falando em uma coletiva de imprensa em Doha, capital do Qatar, Borrell se referia às conversas indiretas entre Teerã e Washington em Viena, que começaram em abril e foram adiadas dois dias depois de o clérigo linha-dura Ephraim Raisin vencer a eleição presidencial iraniana, em junho.

Em comentários traduzidos para o árabe pela televisão Al Jazeera, Borrell disse que acredita que as negociações que visam levar Irã e Estados Unidos a voltarem a cumprir plenamente o acordo recomeçarão “dentro de um período de tempo aceitável”.

Estados Unidos

Desde que o ex-presidente norte-americano Donald Trump descartou o pacto três anos atrás e reativou sanções contra o Irã, Teerã reabastece seu estoque de urânio enriquecido, enriquece-o em altos níveis de pureza físsil e instala centrífugas avançadas para acelerar a produção.

O presidente dos EUA, Joe Biden, almeja restaurar o acordo, mas as partes discordam sobre quais medidas precisam ser tomadas e quando. As principais questões são quais limites nucleares o Irã aceitará e quais sanções os EUA suspenderão.

Potências ocidentais pedem que o Irã volte às negociações e dizem que o tempo está se esgotando, já que seu programa nuclear está avançando muito além dos limites determinados pelo acordo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code