Copa de 2014: PF faz buscas na casa do ex-governador da Bahia

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018 as 10:26, por: CdB

De acordo com a PF, foram expedidos no total sete mandados de busca e apreensão no âmbito da operação Cartão Vermelho, que investiga irregularidades na contratação dos serviços de demolição

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro:

A Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão nesta segunda-feira no apartamento do ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT), em operação que investiga suspeita de fraude milionária envolvendo a Arena Fonte Nova, estádio reconstruído para a realização da Copa do Mundo de 2014.

PF faz buscas na casa do ex-governador Jaques Wagner, em Salvador

De acordo com a PF, foram expedidos no total sete mandados de busca e apreensão no âmbito da operação Cartão Vermelho; que investiga irregularidades na contratação dos serviços de demolição; reconstrução e gestão do estádio.

– Os mandados, expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região; estão sendo cumpridos em órgãos públicos, empresas e endereços residenciais dos envolvidos no esquema criminoso; e têm por objetivo possibilitar a localização e a apreensão de provas complementares dos desvios nas contratações públicas; do pagamento de propinas e da lavagem de dinheiro – disse a PF em nota, sem identificar os alvos.

O advogado Pablo de Castro, que defende Jaques Wagner; confirmou por telefone que o apartamento de seu cliente em Salvador foi alvo de buscas por parte de agentes da PF na manhã desta segunda. O advogado acrescentou que a defesa ainda não teve acesso integral ao inquérito e irá se posicionar mais tarde.

A Arena Fonte Nova

A Arena Fonte Nova foi reconstruída para a Copa do Mundo de 2014 ao custo de quase R$ 700 milhões; em contrato firmado pelo governo da Bahia; então sob comando de Wagner, com as empreiteiras Odebrecht e OAS, ambas envolvidas no esquema de corrupção revelado pela operação Lava Jato.

Segundo a PF, dentre as irregularidades já evidenciadas no inquérito policial estão fraude à licitação, superfaturamento, desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro.

– A obra, segundo laudo pericial, foi superfaturada em valores que, corrigidos, podem chegar a mais de R$ 450 milhões; sendo grande parte desviada para o pagamento de propina e o financiamento de campanhas eleitorais – afirmou a PF.

Procurado pela agência inglesa de notícias Reuters, o governo da Bahia não estava disponível de imediato para comentar. Representantes da Arena Fonte Nova não responderam de imediato a um pedido de comentário.

Pelo menos outros seis estádios construídos ou reformados para a Copa do Mundo também foram alvo de corrupção; de acordo com investigações da PF, incluindo o Maracanã, palco da final do torneio de 2014. Além do estádio no Rio de Janeiro, também foram descobertas irregularidades na Arena Corinthians, em São Paulo, no Estádio Nacional “Mané Garrincha”; em Brasília, na Arena Pernambuco, em Recife, na Arena Castelão, em Fortaleza, e na Arena Amazônia, em Manaus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *