Coreia do Norte alerta EUA e Seul a não realizarem exercícios militares após Jogos

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018 as 13:16, por: CdB

A Coreia do Norte não testa um míssil desde o final de novembro de 2017 e iniciou um diálogo com sua vizinha do sul em janeiro, o primeiro em dois anos

Por Redação, com Reuters – de Seul:

A Coreia do Norte alertou que não “ficará passiva” se os Estados Unidos levarem adiante após a Olimpíada de Inverno os exercícios militares com a Coreia do Sul que foram adiados, informou o Ministério das Relações Exteriores norte-coreano em carta à Organização das Nações Unidas (ONU).

Voluntários passam por anéis olímpicos dos Jogos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul

A Coreia do Norte não testa um míssil desde o final de novembro de 2017; e iniciou um diálogo com sua vizinha do sul em janeiro; o primeiro em dois anos, o que amenizou as tensões depois de um ano de escalada retórica entre Pyongyang e Washington.

Todas as vezes que exercícios militares conjuntos ocorreram, “a paz e a segurança da Península Coreana foram gravemente ameaçadas; e a desconfiança e a confrontação intercoreanas chegaram ao auge, com isso criando grandes dificuldades e obstáculos antes de diálogos duramente obtidos”; disse a carta do chanceler norte-coreano, Ri Yong Ho.

– Faremos todos os esforços para melhorar as relações intercoreanas no futuro também; mas jamais ficaremos passivos quanto ao ato sinistro de frustrarem nossos esforços.

Manobras militares

Os EUA e a Coreia do Sul concordaram em adiar suas manobras militares conjuntas anuais até depois da realização dos Jogos de Inverno de Pyeongchang; que começam na semana que vem em solo sul-coreano.

Na quinta-feira, o enviado especial da ONU para a Coreia do Norte, Joseph Yun; disse que todas as opções continuam sendo cogitadas para se resolver a crise causada pelo programa nuclear do país recluso; mas que não acredita que o governo do presidente norte-americano, Donald Trump, esteja perto de recorrer a uma ação militar.

Na carta, a Coreia do Norte também disse que os EUA estão “ludibriando” a opinião pública ao afirmarem; que suas ações rigorosas induziram as conversas entre as duas Coreias.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *