Coreia do Norte comemora com desfile 70 anos das Forças Armadas

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018 as 15:12, por: CdB

Em paralelo à ofensiva diplomática durante evento esportivo na Coreia do Sul, Pyongyang realiza desfile militar para comemoração dos 70 anos de seu Exército

Por Redação, com DW – de Seul:

A Coreia do Norte realizou nesta quinta-feira um desfile militar de grande porte para comemorar o 70º aniversário da fundação de seu Exército, um dia antes do início dos Jogos Olímpicos de Inverno na cidade sul-coreana de Pyeongchang.

Desfile militar norte-coreano na praça Kim Il-sung um dia antes do início dos Jogos Olímpicos de Inverno

O desfile em Pyongyang ocorreu em meio à expectativa da participação norte-coreana nos Jogos de Inverno; enquanto o regime norte-coreano visa uma reaproximação com a Coreia do Sul.

O país enviou ao sul uma delegação de atletas, animadoras de torcida e até a irmã do líder Kim Jong-un; numa ofensiva diplomática para suavizar sua imagem após o agravamento das tensões; em torno de seu programa nuclear e a retórica agressiva que dominou as relações entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos.

Haverá ainda em Pyeongchang a participação de uma equipe conjunta de hóquei no gelodas duas Coreias. As delegações dos dois países desfilarão juntas na cerimônia de abertura dos Jogos; nesta sexta-feira, sob uma bandeira da Península Coreana unificada. 

Regimentos de soldados desfilaram pela praça Kim Il-sung, na capital sul-coreana, seguidos por tanques; veículos de artilharia e gigantescos mísseis balísticos. Fogos de artifício marcaram a chegada do líder Kim Jong-un à tribuna de onde assistiu ao desfile acompanhado da esposa, Ri Sol-ju; e do chefe de Estado cerimonial, Kim Yong-nam, que chefiará a delegação norte-coreana nos Jogos de Pyeongchang.

– Nós nos tornamos capazes de demonstrar nossa estatura ao mundo como um poder militar de nível global – disse Kim; alertando que as Forças Armadas do país devem permanecer em alerta máximo para assegurar que os invasores não violem a soberania do país “nem por 0,001 milímetro”.

O governo norte-coreano

O governo norte-coreano costuma convidar centenas de jornalistas estrangeiros para testemunharem suas paradas militares; o que não ocorreu desta vez. O motivo poderia ser a intenção de Pyongyang de controlar a forma como o evento seria mostrado ao mundo; o que também explicaria a decisão de não transmiti-lo ao vivo pela televisão.

No mês passado, o anúncio de que Pyongyang comemoraria o aniversário do Exército na véspera do início dos Jogos de Inverno gerou um mal-estar em Seul pelo temor de; que o evento pudesse ofuscar os acordos alcançados para a participação norte-coreana no evento esportivo.

EUA

Alguns observadores dizem que a postura aparentemente contraditória do regime de Kim Jong-un seria uma tentativa de normalizar perante o mundo seu status de potência nuclear. Poderia ainda ser uma investida do regime; para enfraquecer as sanções contra o país ou colocar a Coreia do Sul e os EUA em lados opostos.

O último desfile militar celebrado pela Coreia do Norte ocorreu no dia 15 de abril do ano passado; na ocasião do feriado que marcou o 105º aniversário do nascimento de Kim Il-sung; fundador da República Popular Democrática da Coreia – nome oficial do país. Na data, o regime de Kim Jong-un exibiu novos mísseis balísticos, alarmando a comunidade internacional.