Coreia do Norte enviará delegação aos Jogos de Inverno

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de janeiro de 2018 as 09:03, por: CdB

Em reunião com Seul, Pyongyang diz que enviará atletas e funcionários governamentais a Jogos de Inverno no país vizinho. Norte também anuncia reabertura de linha de comunicação militar com o Sul

Por Redação, com DW – de Seul:

A Coreia do Norte enviará atletas e uma delegação de alto nível aos Jogos Olímpicos de Inverno na cidade sul-coreana de Pyeongchang, comunicaram autoridades da Coreia do Sul nesta terça-feira, depois do início das primeiras conversas entre os dois países em quase dois anos.

Ri Son-gwon (dir.), chefe da delegação norte-coreana, e o vice-ministro da Unificação da Coreia do Sul, Cho Myoung-gyon

As autoridades sul-coreanas relataram ainda que Pyongyang propôs o envio de funcionários governamentais, jornalistas, um grupo de torcedores, uma equipe de artes cênicas e outra de demonstração de taekwondo aos Jogos de Pyeongchang, a serem realizados entre 9 e 25 de fevereiro.

Delegações com cinco funcionários de alto nível de ambos os países se encontraram na chamada “casa da paz” no lado sul-coreano da aldeia Panmunjom, localizada na zona desmilitarizada que separa as duas Coreias. 

A Coreia do Sul propôs que os atletas de ambos os países marchassem juntos nas cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos de Inverno, disse o vice-ministro da Unificação da Coreia do Sul, Chun Hae-sung. 

Os patinadores artísticos Ryom Tae-ok e Kim Ju-ik são os dois únicos atletas norte-coreanos classificados para os Jogos de Inverno de Pyeongchang, embora o Comitê Olímpico Internacional (COI) tenha dito que outros poderiam competir por meio de um convite, desde que o regime permita a viagem deles.

“Um presente de Ano Novo”

No início das conversações, funcionários de ambos os países deram declarações positivas sobre debates relacionados aos Jogos Olímpicos de Inverno.

– Acho que devemos nos engajar nessas conversas de maneira séria e sincera, para dar um primeiro presente de Ano Novo: resultados preciosos para a nação coreana – disse Ri Son-gwon, chefe da delegação norte-coreana.

O ministro da Unificação da Coreia do Sul, Cho Myoung-gyon; disse acreditar que os Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang “se tornarão as Olimpíadas da paz; enquanto os valiosos convidados do Norte se juntarão a muitos outros de todo o mundo”.

Ri e Cho apertaram as mãos quando entraram na “casa da paz” e novamente à mesa; onde as conversas ocorreram. “O povo tem um forte desejo de ver o Norte e o Sul se movimentando em direção à paz e à reconciliação”, disse Cho.

Comunicação militar

Na reunião de alto nível desta terça-feira, a Coreia do Norte também informou à Coreia do Sul; que reabriu uma de sua linhas de comunicação militar com o país vizinho. 

Trata-se da linha destinada a comunicações militares na região em torno do Mar Amarelo (chamado de Mar do Oeste nas duas Coreias) e que; da mesma forma que as demais vias de comunicação entre os dois países; permanecia inutilizada há quase dois anos por decisão do Norte.

O Exército norte-coreano começará a utilizar de novo a linha na costa oeste a partir desta quarta-feira; segundo explicou a delegação do Norte à sua contraparte do Sul.

Tensão na península e com os EUA

A cúpula desta terça-feira foi organizada depois que o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un; pressionou por melhores relações com Seul e sinalizou uma abertura para diálogo em seu discurso de Ano Novo.

As tensões na península coreana aumentaram com o impulso dado pela Coreia do Norte a seu programa de armas nucleares no ano passado; conduta que viola as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Críticos veem as conversas entre Seul e Pyongyang como uma tentativa de Kim de distanciar a Coreia do Sul dos Estados Unidos.

Em Washington, no entanto, o presidente norte-americano, Donald Trump; classificou as conversações entre as Coreias como “uma coisa boa”. A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley; disse mais tarde que o governo norte-americano não pretende mudar suas condições em relação à realização de negociações futuras com Pyongyang. Ela afirmou que Kim precisaria primeiro suspender os testes de armas por “um período significativo de tempo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *