Coreia do Norte se diz disposta a frear programa nuclear

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 6 de março de 2018 as 14:05, por: CdB

Delegação sul-coreana vai a Pyongyang e afirma que regime comunista estaria aberto a congelar programa atômico e de mísseis numa eventual negociação com EUA. Líderes de Sul e Norte se encontrarão

Por Redação, com DW – de Seul:

A Coreia do Norte estaria disposta a discutir abandonar suas armas nucleares e congelar seu programa atômico e de mísseis se iniciasse conversas diretas com os Estados Unidos, informou a delegação sul-coreana que viajou a Pyongyang na segunda-feira.

O chefe da delegação sul-coreana Chung Eui-yong e Kim-Jong-un durante encontro em Pyongyang

A declaração feita pelo chefe da delegação sul-coreana, Chung Eui-yon, marca o ápice de um processo de distensão entre as duas Coreias; tecnicamente ainda em guerra; iniciado desde os Jogos Olímpicos de Inverno, no mês passado.

Segundo ficou acordado nesta terça-feira, o ditador Kim Jong-un e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in; devem se encontrar em abril no vilarejo de Panmunjeom, na zona desmilitarizada entre os dois países. Será a primeira vez em dez anos em que os líderes dos dois países se encontram; e também será a primeira conferência de Kim com líderes do sul desde que o jovem ditador assumiu o poder no Norte.

– O Norte deixou claro sua vontade pela desnuclearização da península coreana e expressou que não há razão para possuir um programa nuclear se as ameaças militares em relação ao Norte forem removidas, e a segurança do regime for garantida – disse Chun, que aparece em fotos distribuídas por agências dos dois países apertando a mão de Kim. 

A Coreia do Norte também disse estar disposta a dialogar com os EUA sobre a desnuclearização e a normalização de laços diplomáticos. Os norte-americanos vêm afirmando que estão “cautelosamente otimistas” sobre as conversas do Sul com os norte-coreanos. Uma das condições impostas pelos EUA para participar das conversas é a de que o regime norte-coreano desista de vez do seu programa nuclear.

Comunicação

Ainda segundo a delegação do Sul, também foi acertada a instalação de um canal direto de comunicação entre os líderes das Coreias. Os resultados otimistas desse encontro prévio foram confirmados pelos meios de comunicação oficiais do regime norte-coreano. A agência estatal KCNA informou que Kim Jong-un disse a uma delegação de altos funcionários sul-coreanos que está com uma “firme vontade de avançar vigorosamente” e “escrever uma nova história da reunificação nacional”.

No entanto, alguns analistas apontam que a aproximação entre as Coreias tem; que ser vista com cautela, já que o regime comunista já expressou várias vezes no passado; que estaria disposto a abandonar seu programa nuclear, para pouco depois retomar iniciativas agressivas. Em 2000 e 2007, líderes sul-coreanos se encontraram com o pai de Kim Jong-un, o ditador Kim Jong-il, mas as conversas não resultaram em avanços duradouros.

A viagem da delação sul-coreana

A viagem da delação sul-coreana a Pyongyang correu semanas depois da histórica visita; que a irmã do ditador norte-coreano, Kim Yo-jong, realizou à Coreia do Sul por ocasião dos Jogos Olímpicos de Inverno. Durante um dos seus vários encontros com o presidente Moon; ela fez um convite para realizar uma cúpula com Kim Jong-un.

EUA e Pyongyang estão em atrito há meses devido aos programas nuclear e de mísseis norte-coreanos; e Trump e Kim trocaram insultos e ameaças de guerra. A Coreia do Norte já prometeu várias vezes jamais abdicar de seu programa nuclear; que vê como um elemento de dissuasão essencial perante uma eventual “invasão” norte-americana. Os EUA, que têm 28.500 soldados em território sul-coreano, negam tais planos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *