Coronavírus: Chile lidera imunização na América Latina

Arquivado em: América Latina, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 16 de fevereiro de 2021 as 11:21, por: CdB

O Chile atingiu na segunda-feira a marca de 2 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19, o que representa cerca de 11,2% da população de mais de 19 milhões de pessoas. O país, desta forma, lidera a vacinação na América Latina. 

Por Redação, com Sputnik – de Santiago

O Chile atingiu na segunda-feira a marca de 2 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19, o que representa cerca de 11,2% da população de mais de 19 milhões de pessoas do país.

Com mais de 11% da população vacinada, Chile lidera imunização na América Latina

O país, desta forma, lidera a vacinação na América Latina. O presidente chileno, Sebastian Piñera, comemorou pelo Twitter os esforços do programa nacional de vacinação.

– Até hoje, vacinamos 2.092.453 de compatriotas para protegê-los da covid-19. Não vamos abaixar nossos braços até que os vacinemos todos. Juntos faremos de 2021 o ano da esperança e da recuperação dos nossos sonhos e projetos de vida.

Só na última quinta-feira, o Chile vacinou mais de 270 mil pessoas, o que corresponde a mais de 1% da população do país.

– Conseguimos vacinar mais de dois milhões de compatriotas, o que nos coloca em uma posição de privilégio e liderança não apenas na América Latina, (mas) em todo o mundo – disse Piñera, citado pela AP.

Vacinados no Chile

Cerca de 1 milhão de vacinados no Chile são adultos mais velhos, e o país começou agora a vacinar professores. A intenção é voltar com as aulas presenciais no país em março, decisão que causa polêmica, já que professores e líderes sindicais chilenos disseram que só voltam para as escolas quando todos os professores receberem a segunda dose da vacina.

No Chile, a vacinação, realizada com a CoronaVac, é voluntária. Há a previsão da chegada de seis milhões de doses do imunizante chinês no final de fevereiro e mais 3 milhões em março. Os novos lotes de vacina seriam fundamentais para alcançar a ambiciosa meta do governo chileno de vacinar cinco milhões de pessoas até março. O país espera imunizar toda a população até o fim de junho.

Além do acordo com a Sinovac (que fornece a CoronaVac), o Chile tem contratos com a Pfizer/BioNTech, a Oxford/AstraZeneca, a Johnson & Johnson e está negociando para trazer a vacina russa Sputnik V. No total, já são quase 40 milhões de doses asseguradas.