Coronavírus força disputa das 24 Horas de Le Mans sem espectadores

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Fórmula 1, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 10 de agosto de 2020 as 13:42, por: CdB

A corrida de carros esportivos 24 Horas de Le Mans, que havia sido adiada, será disputada neste ano sem espectadores em setembro devido à pandemia de covid-19, disseram os organizadores nesta segunda-feira.

Por Redação, com Reuters – de Paris/Silverstone

A corrida de carros esportivos 24 Horas de Le Mans, que havia sido adiada, será disputada neste ano sem espectadores em setembro devido à pandemia de covid-19, disseram os organizadores nesta segunda-feira.

A corrida de carros esportivos 24 Horas de Le Mans, que havia sido adiada, será disputada neste ano sem espectadores
A corrida de carros esportivos 24 Horas de Le Mans, que havia sido adiada, será disputada neste ano sem espectadores

A prova francesa, normalmente disputada em junho no circuito Sarthe e já na sua 88ª edição, contou com 250 mil participantes em 2019, grande parte vinda do Reino Unido.

A Toyota é a atual campeã.

– Infelizmente, a maior corrida de resistência do mundo será disputada este ano sem espectadores na pista – disse Pierre Fillon, presidente do Automobile Club de l’Ouest (ACO), em um comunicado.

– Dadas as restrições envolvidas na organização de eventos, optamos, junto com as autoridades governamentais locais, por realizar a corrida com portas fechadas.

– Sabemos que nossos fãs ficarão tão decepcionados quanto nós com esta decisão, mas, com a saúde pública em jogo, realmente não foi uma decisão difícil – completou.

Verstappen encerra sequência de vitórias

Max Verstappen, da Red Bull, venceu o Grande Prêmio do 70º aniversário da Fórmula 1, em Silverstone no domingo, para encerrar a sequência de triunfos da Mercedes e se tornar o adversário mais próximo de Lewis Hamilton na disputa pelo título.

Em uma corrida dominada por pneus e estratégia, Hamilton ultrapassou o companheiro de equipe da Mercedes, Valtteri Bottas, para assumir o segundo lugar no final da corrida e ficar 30 pontos à frente na classificação.

O seis vezes campeão mundial Hamilton, que ganhou um ponto extra pela volta mais rápida, também igualou o recorde de Michael Schumacher, com 155 pódios na carreira.

– Eu não esperava, mas depois da primeira passagem parecia que estávamos muito bem com os pneus – disse Verstappen ao comemorar sua nona vitória, que o deixou com 77 pontos, contra 107 de Hamilton.

– Claro que havia um ponto de interrogação sobre como a Mercedes iria trabalhar com os pneus duros. Tínhamos muito ritmo no carro e não tive muitos problemas com os pneus. Simplesmente continuamos avançando.

Bottas caiu para o terceiro lugar geral com 73 pontos depois de largar na pole position em uma corrida realizada novamente sem torcedores devido à pandemia de covid-19.

– Como equipe, estávamos dormindo em algum momento quando Max conseguiu ficar à nossa frente e minha estratégia estava longe, longe da ideal. Muito o que aprender hoje, eu acho – afirmou o finlandês.

A Mercedes tinha vencido as quatro corridas anteriores e conseguido todas as poles, mas Verstappen foi o único entre os 10 primeiros do grid a largar com pneus duros e valeu a pena.

A Pirelli trouxe pneus mais macios em relação ao fim de semana passado, quando Hamilton e Bottas tiveram problemas também em Silverstone, forçando uma mudança de estratégia, e a atual campeã estava pouco à vontade em uma corrida de duas paradas.

Charles Leclerc, da Ferrari, foi o quarto colocado, à frente de Alexander Albon, da Red Bull, e dos pilotos da Racing Points Lance Stroll e Nico Hulkenberg.