Coronavírus mata na Europa e se configura como emergência no mundo, afirma OMS

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias
Publicado sábado, 15 de fevereiro de 2020 as 16:21, por: CdB

Autoridades francesas informaram neste sábado que um turista chinês, de 80 anos, foi infectado com o coronavírus morreu na França, tornando-se a primeira fatalidade na Europa e a quarta fora da China continental.

 

Por Redação, com agências internacionais – de Bruxelas e Pequim

O surto de coronavírus ainda é uma emergência para a China e é impossível dizer para onde a epidemia vai se espalhar, afirmou neste sábado Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS). A Europa registrou, neste sábado, a primeira morte em consequência do organismo.

Xi Jinping, líder do Partido Comunista Chinês, é cotado para permanecer no cargo, mesmo após uma década de mandato
Xi Jinping, líder do Partido Comunista Chinês, lidera a luta do país contra o coronavírus

Tedros disse na Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha, que sente-se encorajado pelas ações da China para desacelerar a disseminação do vírus, mas que ainda está preocupado com o aumento no número de casos.

Autoridades francesas informaram neste sábado que um turista chinês, de 80 anos, foi infectado com o coronavírus morreu na França, tornando-se a primeira fatalidade na Europa e a quarta fora da China continental.

Um morto

Os mais recentes dados da China neste sábado mostram 66.492 casos e 1.523 mortes, a maior parte em Hubei. Fora da China continental houve cerca de 500 casos em cerca de duas dezenas de países e territórios, com quatro mortes —no Japão, em Hong Kong, Filipinas e França.

No caso francês, o homem chinês morreu no hospital de Bichat, em Paris, de infecção pulmonar devido ao vírus, de acordo com autoridades.

— Nós preparamos nosso sistema de saúde para enfrentar uma possível propagação do vírus, e portanto a disseminação do vírus na França — disse a ministra da Saúde, Agnes Buzyn.

Saúde

Na luta contra o vírus, o presidente chinês, Xi Jinping, enfatizou na sexta-feira o aperfeiçoamento do mecanismo de prevenção e controle de grandes epidemias e do sistema nacional de gestão de emergências em saúde pública.

Xi, que também é secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC) e presidente da Comissão Militar Central, especificou as exigências na 12ª reunião do comitê central para aprofundar a reforma abrangente, que ele lidera.

Observando que salvaguardar a vida e a saúde do povo é uma das principais missões do Partido para governar o país, Xi sublinhou a necessidade de fortalecer áreas de fraqueza e fechar as brechas expostas pela atual epidemia.

Prevenção

Segundo o presidente, a atual luta contra a epidemia da pneumonia causada pelo novo coronavírus é um grande teste do sistema e da capacidade de governança da China.

Ele salientou a necessidade de fortalecer a legislação sobre a saúde pública e pediu a avaliação de leis e regulamentos revistos relacionados com a prevenção e tratamento de doenças infecciosas; bem como à proteção da vida selvagem. Jinping também destacou acelerar a elaboração de uma lei sobre a biossegurança, enfatizando que a biossegurança deve ser incluída no sistema de segurança nacional.

O dirigente instou a reforma e o aperfeiçoamento do sistema de prevenção e controle de doenças para evitar grandes surtos, fortalecendo a capacidade de nível primário e melhorando um sistema coordenado para a análise, avaliação, tomada de decisão, prevenção e controle de grandes riscos à saúde pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *