Corpo de Bombeiros reforça orientações aos banhistas para evitar afogamentos

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 21 de janeiro de 2020 as 13:11, por: CdB

O verão, além de levar mais pessoas às praias do Rio de Janeiro, também traz uma preocupação a mais: o número de afogamentos aumenta consideravelmente durante este período.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

O verão, além de levar mais pessoas às praias do Rio de Janeiro, também traz uma preocupação a mais: o número de afogamentos aumenta consideravelmente durante este período. Atento aos números de ocorrências no território fluminense, o Corpo de Bombeiros (CMBERJ), que está desde dezembro com a “Operação Verão 2020” em andamento, reforça as orientações aos banhistas que buscam o mar como opção de lazer.

O verão, além de levar mais pessoas às praias do Rio de Janeiro, também traz uma preocupação a mais
O verão, além de levar mais pessoas às praias do Rio de Janeiro, também traz uma preocupação a mais

– Caso o banhista não tenha confiança ou conhecimento, ou mesmo os que têm algum tipo de noção, é preciso buscar a orientação do guarda-vidas. Ao chegar à praia, a pessoa já deve identificar onde está localizado o posto de salvamento para ter informações sobre o banho de mar seguro e os melhores locais para curtir o lazer na praia. Caso saiba nadar, a orientação é praticar a atividade de forma paralela à areia. Outro item importante é evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e de alimentos pesados antes do mergulho – explicou o subcomandante do 3º Grupamento Marítimo  (Copacabana), tenente coronel Aquino. Somente na área deste GMar (que reúne, além do bairro, as regiões do Leme, de Ipanema, Leblon, Arpoador e São Conrado), em 2019, foram 2446 salvamentos.

Ao todo, são, aproximadamente 1,3 mil guarda-vidas em toda a orla do estado, o que representa um reforço de 50% no efetivo para atuar no monitoramento, atendimento e socorro às vítimas de afogamento. De acordo com o subcomandante, caso o banhista se veja em uma situação difícil no mar, a recomendação é sinalizar imediatamente que precisa de ajuda.

– A pessoa não deve tentar vencer por si mesma a corrente e sinalizar de imediato que está precisando de ajuda. O nosso olhar já é bastante apurado neste sentido e existem alguns sinais que os guarda-vidas ficam atentos para um possível afogamento. Além disso, temos um trabalho proativo de orientação aos banhistas durante o patrulhamento ostensivo: quando o profissional avista uma situação desfavorável, ele inicia a comunicação através da sinalização sonora com apito e movimentação dos braços – completou o tenente-coronel Aquino.

Nova sinalização

A partir deste verão, o Corpo de Bombeiros adotou novas bandeiras de sinalização. Com layout e cores diferentes, elas servem como alerta para os frequentadores sobre os riscos de afogamento de determinado ponto da praia. Nas cores vermelha (alto risco), amarela (médio risco), verde (baixo risco), os equipamentos contam ainda com uma bandeira extra – em cor roxa, ela indica a presença de animais marinhos na região (águas-vivas, trânsito de tartarugas e/ou cardumes).

Reforço com novos equipamentos

Além do reforço nas equipes de profissionais, o CBMERJ também conta, a partir deste ano, com novos equipamentos, entre eles, um helicóptero recém-adquirido com recursos da Taxa de Incêndio. O chamado ‘BM06’ é o primeiro modelo com a função piloto automático, que garante a estabilidade da cabine em caso de desorientação espacial.

O Grupamento Marítimo fluminense também conta novas motos aquáticas, quadriciclos, botes, boias de salvamento, itens de proteção pessoal e ainda, tem o apoio de lanchas e drones. Os materiais são fruto do legado do Gabinete de Intervenção Federal, que realizou a doação dos novos equipamentos.

Luiz Fernando Pimentel, de 63 anos, mora em Paraíba do Sul, cidade do interior do Rio, e está na capital visitando a filha, que mora em Copacabana. Ele classifica o trabalho dos Bombeiros como excelente.

– Por ter morado na cidade, já conheço os pontos mais sensíveis das praias. Mas sempre orientei minha filha a buscar informações com os guarda-vidas. O mar é algo que, caso não tenha o devido cuidado, se torna perigoso. Vejo sempre a atuação primorosa dos Bombeiros – afirmou Luiz.

A turista chilena Patricia Nombre, que visita a cidade pela primeira vez, estava atenta durante as férias em família.

– Embora a gente esteja acostumado com praia em meu país, criança na praia só com a presença de um adulto – falou a visitante.

Recomendações 

Procurar sempre locais próximos aos postos de guarda-vidas.

Respeitar as placas e/ou bandeiras de sinalização.

Perguntar sempre ao guarda-vidas qual o local mais apropriado para tomar o banho de mar.

Não ingerir bebidas alcoólicas e entrar no mar.

Evitar entrar na água logo após se alimentar.

Não entrar no mar após longa exposição ao sol, sem antes adaptar seu organismo à temperatura da água.

Não desviar a atenção um só instante das crianças. Vale identificá-las com nome e telefone para contato.

Caso saiba e pretenda nadar, a orientação é praticar a atividade paralelamente à areia.

Evitar locais que são conhecidos como points de surfistas. Desta forma, é possível prevenir acidentes com pranchas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *