Corpo de PM morto na região metropolitana do Rio é enterrado

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado domingo, 15 de abril de 2018 as 14:00, por: CdB

No sábado, o soldado da Polícia Militar Alexandre Antônio da Silva, de 32 anos, foi ferido a  durante uma tentativa de assalto na Zona Norte do Rio de Janeiro

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Foi enterrado neste domingo em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, o polícial militar (PM) Diogo Bernardo Alcântara. O militar teve seu carro alvejado no sábado em Niterói, também no Grande Rio, quando saía do trabalho. O ataque aconteceu em uma área próxima ao Morro da Grota.

Foi enterrado neste domingo em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, o polícial militar (PM) Diogo Bernardo Alcântara

O caso do cabo da PM está sendo investigado pela Polícia Civil. Diogo Alcântara foi o 37º policial assassinado este ano, 35 deles eram policiais militares.

No sábado, o soldado da Polícia Militar Alexandre Antônio da Silva, de 32 anos, foi ferido a  durante uma tentativa de assalto na Zona Norte do Rio de Janeiro. O policial teve alta neste domingo do Hospital Municipal Salgado Filho, para onde tinha sido levado.

PM morto no Recreio

O subtenente reformado da Polícia Militar, Anderson Claudio da Silva, de 48 anos, foi assassinado na noite de terça-feira, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Seu corpo foi encontrado dentro de um veículo; que tinha várias marcas de tiro, na praça Miguel Osório, no Recreio dos Bandeirantes.

Com o ex-policial, foi encontrada uma arma. Depois da ocorrência, os policiais do Batalhão do Recreio (31º BPM) encontraram um ex-policial militar; que estava ferido e tinha uma pistola dentro do carro. Ele foi levado ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, sob custódia por suspeita de participação no assassinato.

As investigações estão a cargo da Delegacia de Homicídios da Capital. Segundo a Polícia Civil, a perícia no local do crime já foi realizada. Os agentes buscam imagens e testemunhas do assassinato. Com a morte do subtenente,  sobe o número de policiais mortos vítimas da violência este ano no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *